Começou ontem a primeira reunião do Eurogrupo, onde a Grécia tentou apresentar propostas no sentido de combater a austeridade. No final de sete horas de reunião com os restantes ministros das finanças, Varoufakis dava algum sinal de otimismo. O Ministro das Finanças grego considerou que este encontro resultou numa discussão muito construtiva e abrangente sobre as principais fragilidades da Grécia e sobre a forma como o Eurogrupo poderá facilitar a transição para uma nova fase. Agora, o governo grego assume que vai "sentar-se à mesa" com a Troika para preparar a próxima reunião do Eurogrupo na segunda-feira.

Esse encontro irá focar-se na maneira como a Grécia pode sair do atual resgate e fazer a transição para o novo programa.

Publicidade
Publicidade

Para o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, este primeiro encontro resultou em progressos importantes, contudo ainda não há conclusões.

No primeiro encontro fez-se uma declaração conjunta, que foi várias vezes rescrita, indicando que o Eurogrupo e as novas autoridades gregas haviam conseguido chegar a um acordo para rever algumas medidas do atual programa e substituí-las por novas reformas. O texto conjunto continha a palavra "ponte", tão reivindicada pela Grécia para fazer a transição para um novo acordo com os credores. Na edição do Kathimerini, jornal grego, pôde ler-se que os representantes gregos irão reunir-se com o Fundo Monetário Internacional, a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu com o intuito de preparar a reunião com o Eurogrupo. Ainda não há certezas quanto a esta reunião com as várias instituições, nem tão pouco se sabe se ocorrerá em separado ou em conjunto.

Publicidade

Um jornalista inglês referiu que, à última hora, o ministro das finanças grego terá recuado e rompido o acordo, após ter telefonado ao primeiro-ministro Alexis Tsipras, que vetou o documento. Uma versão já desmentida por Varoufakis, que dirigiu uma mensagem no Twitter ao jornalista que lançou este boato, onde disse que as afirmações deste são "duvidosas e sem fundamento". Apesar da incerteza quando ao futuro do país, a bolsa de Atenas fechou a ganhar 8% e os juros da dívida pública aliviaram para pouco mais de 10%.