Os problemas parecem não ter fim para a empresa brasileira Petrobras. São constantes as notícias que associam a empresa a escândalos de corrupção, envolvendo o nome de altas patentes do governo brasileiro como por exemplo a própria Presidente brasileira, Dilma Rousseff. Agora os problemas estendem-se à própria atividade da empresa, que foi confrontada com um grave acidente num navio-plataforma que operava na costa sudoeste brasileira. Uma explosão no navio-plataforma FPSO Cidade São Mateus provocou a morte de três pessoas e estão mais seis desaparecidas. Entretanto foram também resgatadas trinta e três pessoas para receber assistência médica.

Publicidade
Publicidade

O navio-plataforma FPSO Cidade São Mateus, onde ocorreu o acidente, pertence à empresa norueguesa BW Off Shore e estava a prestar serviço para a Petrobras a 40 quilómetros da costa, nos campos de Camarupim e Camarupim Norte, no estado do Espírito Santo. Ao que tudo indica, o acidente ocorreu na casa das bombas do navio, onde existiu uma explosão seguida de incêndio. O fogo já se encontra extinto e o navio-plataforma não representa qualquer perigo, estando no entanto todas as operações canceladas e sem data prevista para serem retomadas. Este navio estava dedicado à extração de gás natural e petróleo, sendo que diariamente estava a produzir uma média de 2.250 milhões de metros cúbicos de gás e 350 metros cúbicos de petróleo.

Das trinta e três pessoas evacuadas, dez encontravam-se feridas com alguma gravidade devido a queimaduras no corpo.

Publicidade

Os trabalhadores foram prontamente resgatados através de barcos e helicópteros, após ter sido acionado o Plano de Emergência no navio-plataforma. No entanto, ficaram a bordo trinta e um trabalhadores para assegurar a manutenção do navio, que já se encontra totalmente estabilizado e sem representar perigo de derrame de petróleo no mar.

A Agência Nacional do Petróleo indicou que irá colocar duas equipas de especialistas a investigar as causas do acidente. A Petrobras já lamentou o acidente e informou que a empresa norueguesa detentora do navio irá prestar assistência a todos os trabalhadores envolvidos no acidente.