No início da semana surgiram notícias, em todos os órgãos de comunicação social, de que a Ryanair iria voar para os Estados Unidos da América (EUA) a preços low cost. A notícia foi avançada pelo Financial Times e criou, de imediato, um enorme alarido nas redes sociais, com muita gente a fazer planos. Só que, na verdade, tratou-se de uma "falha de comunicação", diz Michael O'Leary, CEO da Ryanair, ao jornal que lançou a notícia.

Foi no dia 19 de março, quinta-feira, que a low cost decidiu emitir um comunicado oficial sobre as notícias que se propagaram nos últimos dias: "o conselho de administração da Ryanair Holdings PLC vem clarificar que não analisou ou aprovou qualquer projeto transatlântico e não tem intenções de fazê-lo". Mas, ao Financial Times, o CEO da companhia irlandesa não diz o mesmo que o comunicado. Michael O'Leary afirmou que o projeto transatlântico ainda estava de pé e que está em conversações com os fabricantes de aviões. Contudo, o aprovar desde projeto seria impossível, uma vez que tinha de ser criada uma companhia aérea separada.

Afinal, os voos transatlânticos em low cost podem ser uma realidade, mas não em nome da Ryanair. A Agence France-Presse afirma que se tratou de um "erro inicial" ligado à maneira como foi anunciado. O que se passou é que o conselho de administração não podia aprovar ou anunciar os voos até aos EUA, uma vez que o projeto, apesar de ter nascido na empresa irlandesa, seria implementado noutra empresa, com um nome diferente. À mesma agência, uma pessoa que diz saber do projeto, afirma que "o plano de ação está pronto, tudo o que falta agora são os aviões". Se pensar no que o CEO da Ryanair afirmou ao Financial Times, esta é uma teoria que faz algum sentido.

A Ryanair comemora, este ano, 30 anos de vida. Por isso, desde o início do mês, a low cost irlandesa tem lançado uma série de promoções. Em Portugal, a companhia já colocou à venda viagens até ao Porto por 7,50€, numa primeira promoção, e por 3€, há poucas semanas. Os valores indicados foram vendidos por trajeto, por isso a viagem de ida e volta rondou entre os 6 e os 15€. Lá fora, a companhia já vendeu alguns trajetos por apenas 30 cêntimos. Por isso, será que a notícia dos voos transatlânticos vai ser lançada durante a comemoração dos 30 anos? Deixe um comentário na caixa em baixo. #Turismo