Andreas Lubitz, o co-piloto da companhia alemã Germanwings, que terá provocado a queda do avião com 150 pessoas a bordo, disse à ex-namorada que queria que o seu nome ficasse recordado para sempre na história. A ex-namorada disse em entrevista que no dia anterior à queda do avião (que foi quando deu por terminado o namoro), Andreas ficou extremamente revoltado e terá dito que, devido a um acto que iria mudar todo o sistema, o mundo iria recordar o seu nome. A antiga namorada alega que na altura tudo lhe pareceu despropositado e sem sentido mas agora tudo se encaixa. Mas nunca pensou que tomasse estas proporções. Pelos vistos Andreas Lubitz, com 27 anos, tinha atravessado diversos problemas sérios na relação.


Um jornal britânico levantou ainda algumas especulações acerca da sexualidade do co-piloto. Parece que, segundo testemunho de um amigo próximo a Andreas Lubitz (que prefere que a sua identidade não seja revelada), este escondera durante anos que era homossexual. Tinha sempre namoradas, que usava como disfarce e para as quais a sua escolha sexual era desconhecida. Mas estas circunstâncias, segundo o amigo, tinham acabado por levar Andreas por "uma longa espiral descendente", até à depressão e a outras complicações psicológicas. "Era uma pessoa com a personalidade retraída e um pouco anti-social", diz o amigo, "embora quem estivesse mais próximo soubesse que Andreas tinha problemas, nunca ninguém esperou que fosse capaz de fazer o que fez."


O co-piloto conseguiu completar a sua formação como primeiro comissário de bordo, mas na escola de pilotos foi declarado "inapto para voar" diversas vezes. A companhia aérea dos Estados Unidos da América recusou-se a revelar os motivos da sua formação não ser concluída, mas desconfia-se de inaptidão psicológica. Sem conhecimento de ninguém, Andreas estava com uma depressão e de baixa no dia em que ocorreu o voo de Barcelona para Dusseldorf. Os documentos que o comprovavam foram destruídos pelo próprio e a sua condição escondida da companhia para a qual trabalhava, Lufthansa.