Uma expedição à floresta tropical mais inacessível do mundo, La Mosquitia, nas Honduras, encontrou indícios de uma antiga civilização que prosperou há milhares de anos. Os exploradores seguiam os rumores da existência da mítica Ciudad Blanca, ou Cidade do Monge Deus, na zona leste da floresta tropical, quando se depararam com uma série de vestígios da existência de uma cidade desconhecida. A equipa, composta por arqueólogos das Honduras e dos Estados Unidos, e apoiados pelo governo dos primeiros, regressou na passada quarta-feira, conta o National Geographic.

Os arqueólogos descobriram indícios de uma arquitectura pública e cerimonial, de casas-monte e possíveis canais de irrigação e reservatórios, confirmando tratar-se de uma cidade pré-colombiana.

Publicidade
Publicidade

Foram encontrados cinquenta e dois artefactos, que espreitavam à superfície, incluindo esculturas em pedra, altares cerimoniais, vasos esculpidos e decorados com cobras, abutres e outras formas animais. Os arqueólogos acreditam que mais objetos estão enterrados no subsolo. Para Christopher Fischer, arqueólogo especializado na Mesoamérica, da Universidade Estadual do Colorado, o objeto mais curioso é a cabeça em pedra daquilo que especula ser um homem-jaguar. Possivelmente, tratar-se-á da representação de um xamã transformado em estado espírito. Outra possibilidade é estar relacionado com jogos rituais característicos dos pré-colombianos na Mesoamérica.

Fischer destaca o contexto imperturbado do local, algo "incrivelmente raro". Os próprios animais nativos reagiam com curiosidade, como se estivessem a ver humanos pela primeira vez, relatam os membros da expedição.

Publicidade

"Esta é claramente a mais imperturbada floresta tropical da América Central", refere Mark Plotkin, etnobotânico da expedição.

As ruínas agora exploradas foram identificadas em maio de 2012, depois da captação de imagens aéreas do território leste de La Mosquitia, fornecendo uma possível localização da mística Ciudad Blanca. Esta cidade lendária é referida há centenas de anos por exploradores e representada por um conjunto de muralhas brancas, ou "casas brancas", como se lhe refere os indígenas. Reza a lenda que foi o local para onde fugiram os índios, aquando a chegada dos conquistadores espanhóis e, por isso, identificada como uma espécie de um Jardim do Éden, de onde nunca ninguém retornou.

Tratando-se ou não da Ciudad Blanca, os arqueólogos concluíram que se trata, de facto, de uma antiga cidade, possivelmente datada de 1000 a 1400 D.C. Mas os exploradores acreditam que algo muito mais complexo se localiza em La Mosquitia. A floresta tropical não abriga uma cidade, mas várias, tratando-se, então, de uma civilização esquecida.