Os comentários, notícias ou caricaturas sobre uma determinada religião podem desencadear as mais diversas consequências sobre aqueles que as publicam, que o diga a redacção do jornal satírico francês Charlie Hebdo, que no início deste ano viu 12 dos seus profissionais morrerem devido ao que caricaturavam. Agora, foi no Bangladesh que um blogger sofreu as consequências.

Washigur Rahman, de 27 anos, morreu hoje, dia 30 de Março, no Bangladesh, na capital Daca. De acordo com as últimas notícias, acredita-se que o homem terá morrido devido ao blogue que mantinha e que escrevia sob o pseudónimo "patinho feio", expressando comentários contra o fundamentalismo religioso.

Publicidade
Publicidade

O jovem terá sido atacado por outras três pessoas a cerca de 500 metros de casa, tendo sido brutalmente esfaqueado. Dois dos suspeitos foram capturados pela polícia quando tentavam fugir do local, sendo que um dos indivíduos conseguiu mesmo a fuga. Os atacantes são jovens estudantes de escolas islâmicas, um deles terá mesmo afirmado aos jornalistas ter morto Washigur por ele desrespeitar o profeta Maomé.

Este incidente aconteceu um mês depois da morte de um outro blogger na capital do país. O escritor ateu norte-americano, de ascendência bangladeshiana, Avijit Roy, condenava no seu blogue "Mukto-Mona", o equivalente em português a mente livre, os extremismos religiosos, defendendo a liberdade de pensamento. Este profissional foi morto em Fevereiro com vários golpes de um machado, tendo sido atacado quando regressava com a sua mulher, Rafida Ahmed, de uma feira do livro.

Publicidade

A mulher, que também possui um blogue próprio, foi igualmente atacada, estando agora em recuperação. O jovem morto hoje possuía uma conta no Facebook, designada "Eu sou Avijit", dando a ideia de que seguia o outro colega atacado.

Também na Arábia Saudita continua detido o blogger Raif Badawi, co-fundador da Rede Liberal Saudita, culpado de ter insultado o Islão. Da pena aplicada, Raif terá de uma pena de prisão de 10 anos e 1.000 chicotadas, sendo que quase não sobreviveu às primeiras 50.