De acordo com a emissora Europe, um Airbus A320 desapareceu quando fazia o trajecto entre Espanha (Barcelona) e Alemanha (Dusseldorf), despenhando-se perto da cidade de Barcelonnette, a cerca de 100 quilómetros a norte de Nice. Segundo a publicação "Le Figaro", o avião que pertencia à empresa de baixo custo Germanwings (Lufthansa) levantou voo às 9 horas, tendo desaparecido dos radares por voltas 10h20, hora portuguesa. François Hollande já confirmou o acidente, adiantando que haverá pouca probabilidade de existirem sobreviventes e revelando ainda que o piloto teria dado sinais de que alguma coisa não estava a decorrer com a habitual normalidade.

Publicidade
Publicidade

Aliás, segundo uma fonte da Direcção Geral Aeronáutica Civil Francesa, ouviram-se as palavras "emergência, emergência", no cockpit.

O acidente terá ainda ocorrido numa zona de difícil acesso, sendo provável a existência de muitas vítimas alemãs, tal como adiantou o Presidente Francês. Ao que tudo indica, o avião transportava 142 passageiros, dois pilotos e quatro comissários de bordo. De acordo com dados divulgados no airfleets.net, o avião estava no grupo Lufthansa desde 1991, tendo 24 anos. Segundo declarações do Ministro do Interior Francês, já foram encontrados alguns destroços do avião junto a uma aldeia daquela zona, sendo que, no momento actual, estão diversos helicópteros no local à procura de sobreviventes.

A casa mãe da low cost Germanwings, Lufthansa, já se pronunciou no Twitter sobre o acidente, dizendo nada saber sobre o que se passou e descrevendo o momento actual como um "dia negro".

Publicidade

Deixa ainda esperanças de encontrar sobreviventes. Segundo a página de Facebook de um dos funcionários do terminal, os familiares dos passageiros já foram levados para uma área privada no aeroporto de Dusselforf. Mariana Rajoy, o Primeiro-Ministro de Espanha, ainda não manifestou qualquer reacção, estando ao longo da manhã na inauguração do Centro Memorial de Vítimas, uma casa que, de acordo com Rajoy, estará ao lado da democracia, liberdade e valores.

Este é já considerado o pior acidente em solo francês desde 2000, ano em que o Concorde se despenhou no norte de Paris e matou 113 pessoas. Tudo aconteceu no dia 25 de Julho, com o voo 4590 da Air France que tinha como destino Nova Iorque. Os pilotos tinham acabado de ganhar altitude quando, a menos de cinco quilómetros do solo, o Concorde bate contra um hotel na cidade de Gonesse. A maioria dos passageiros era de nacionalidade alemã e iam fazer um cruzeiro nas Caraíbas. Nove elementos da tripulação de nacionalidade francesa sobreviveram ao acidente.