Um investigador espanhol, Francisco Extebarria, que tenta há anos encontrar os restos mortais de Cervantes, diz que na Igreja das Trinitárias, em Madrid, a sua equipa encontrou alguns fragmentos que correspondem ao corpo do famoso escritor. A investigação desenvolvida pela autarquia de Madrid confirma de que se tratam realmente e sem dúvida alguma dos restos de Miguel Cervantes Saavedra, autor de D. Quixote de La Mancha, falecido em 1616.

Os investigadores apresentaram em conferência de imprensa os resultados da pesquisa. O porta-voz relata que no local estão partes de vários cadáveres que correspondem a Miguel de Cervantes, à sua esposa Catalina de Salazar e a outras pessoas significantes da época. As personalidades foram enterradas no subsolo da igreja como era hábito comum na época, mas num outro local, onde a igreja se encontrava primeiramente, e que é diferente do actual.

O director do Instituto de Cervantes (de Lisboa) declarou na semana passada que existem influências portuguesas na Obra de Miguel de Cervantes. Está registado que o escritor espanhol efectuou uma viagem, que deve ser investigada, à capital portuguesa nos finais do Século XVI. O director, Javier Rioyo, tem como objectivo realizar um congresso em Lisboa em Abril de 2016, altura em que se comemoram os 400 anos da morte do autor (1616-2016). Um dos assuntos a debater estará relacionado com "detalhes portugueses" descritos em várias passagens da obra. O congresso será internacional e terá a colaboração de várias universidades portuguesas, norte-americanas, europeias e algumas de língua oficial espanhola. Terá a presença exclusiva de grandes biógrafos de várias nacionalidades.

O segundo volume do romance de Miguel Cervantes foi publicado em 1615 e a obra é considerada o primeiro romance dos tempos modernos. D. Quixote de La Mancha é um clássico da #Literatura e já foi mencionado como o melhor romance já escrito. Cervantes é considerado dos mais importantes escritores ocidentais, pelo que o castelhano é muitas vezes chamado de "Língua de Cervantes".