Andrew Hutchinson, enfermeiro britânico de 29 anos, declarou ter abusado sexualmente de mulheres sob efeito de anestesia, no John Radcliffe Hospital - Oxford University Hospitals (Hospital John Radcliffe - Hospital Universitário de Oxford). As vítimas tinham 18, 22 e 35 anos. O ataque foi filmado pelo próprio enfermeiro. Para além desta acusação, Hutchinson admitiu casos de ataques sexuais, voyeurismo, posse de imagens indecentes de crianças, "indecência pública", roubo e posse do anestésico Cetamina.

Hutchinson tornou-se enfermeiro no referido hospital em 2006 e, posteriormente, foi promovido a enfermeiro sénior. Foi detido pela Polícia de Thames Valley, após suspeita de voyeurismo na White Horse Leisure Centre (Centro de Lazer em Abingdon), a duas meninas de 10 e 15 anos, sendo acusado em Dezembro de 2014.

Publicidade
Publicidade

Em Janeiro de 2015, novas acusações foram acrescentadas.

Foram descobertos vestígios de novos ataques em imagens guardadas no telemóvel, computador, câmara e cartões de memória, do enfermeiro. Além disso, também foram encontradas 1786 imagens indecentes de crianças no seu telemóvel e computador. Hutchinson também admitiu ter atacado sexualmente mulheres de 24 e 21 anos na tenda de Primeiros Socorros do Festival de Música Wilderness, onde era voluntário.

O enfermeiro chegou a roubar uma câmara do hospital para filmar debaixo da saia de uma mulher que acompanhava uma amiga na enfermaria. O enfermeiro admitiu ainda ter roubado Cetamina, um fármaco utilizado como anestésico em procedimentos de diagnóstico e cirurgia, encontrado na sua posse em Dezembro de 2014. Este fármaco anestésico tem sido utilizado em tráfico de drogas, uma vez que pode provocar alucinações.

Publicidade

Inclusive, em Janeiro de 2015, um médico veterinário foi preso por tráfico do anestésico.

A polícia de Thames Valley declarou ter realizado "um extenso trabalho de investigação para identificar todas as vítimas dos crimes, analisando todas as imagens, nas quais é possível estabelecer uma identidade". Além disso, referiu que "todas as vítimas identificadas foram contactadas por profissionais treinados para serem informados dos ataques realizados, contra a sua vontade, e receberem a ajuda apropriada".

Andrew Hutchison irá ser mantido em custódia até sentença, programada para o dia 27 de Abril de 2015. #Crime