O Estado Islâmico divulgou mais um vídeo onde se pode ver um prisioneiro a ser executado. O vídeo tem cerca de 13 minutos e foi divulgado, esta terça-feira, dia 10, nas redes sociais. A vítima foi acusada de ser um espião da Mossad e foi alvejado por um menor de idade. Este é o segundo vídeo em que aparecem imagens de um menor a assassinar um prisioneiro.

O prisioneiro, acusado de ser espião da Mossad – serviços secretos israelitas – na Síria, aparece ajoelhado, vestido com o uniforme cor-de-laranja - como tem vindo a ser habitual nos vídeos de execução divulgados pelo grupo extremista. Atrás dele, dois membros do grupo – uma criança e um adulto - usando fardas militares e com a cara descoberta.

Publicidade
Publicidade

No vídeo é feita uma declaração em francês, pelo homem adulto, em que são proferidas várias ameaças ao estado de Israel. Depois disso, o jovem, menor de idade, supostamente dispara contra o prisioneiro.

Segundo o Daily Mail, a criança terá dez anos, e executou Muhammad Said Ismail Musallam, um jovem de 19 anos, de nacionalidade Árabe-Israelita, que foi acusado pelo grupo extremista de fazer parte da Mossad. Mussallam tinha sido feito prisioneiro do grupo radical em Novembro do ano passado, quando os jihadistas desconfiaram de que poder-se-ia tratar de um espião Israelita. No início deste mês, o grupo divulgou uma entrevista feita ao jovem israelita, onde Musallam diz que se juntou ao autoproclamado Estado Islâmico para, assim, passar informações importantes aos israelitas. Os pais do jovem acabaram por negar esta afirmação, afirmando que o filho teria abandonado o país para se juntar ao grupo jihadista.

Publicidade

Este é o segundo vídeo divulgado pelo autoproclamado Estado Islâmico em que aparece um menor de idade a executar prisioneiros. O primeiro vídeo deste género foi divulgado em Janeiro deste ano. Nele podia-se ver uma criança a executar prisioneiros russos, que foram acusados de serem espiões na Síria. Segundo os jihadistas, ter-se-iam infiltrado no seio do grupo extremista, para recolher informação sobre o mesmo. #Terrorismo