Faz hoje uma semana que o Airbus 320 da Germanwings, com destino a Düsseldorf, se despenhou nos Alpes Franceses. Até ao momento, todas as informações têm demonstrado que o acidente teve um carácter intencional e, quem sabe, premeditado por Andreas Lubitz. Contudo, esta terça-feira, dia 31, foram reveladas novas informações. O jornal alemão Bild e a revista francesa Paris Match terão tido acesso a um vídeo de curta duração que terá sido filmado no interior do avião. A gravação terá sido descoberta quando, durante as buscas, foi encontrado o cartão SIM de um telemóvel no meio dos destroços. De acordo com os relatos, o vídeo mostra o que se passou desde o momento em que os passageiros se aperceberam do que se estava a passar, até ao momento do acidente.

Publicidade
Publicidade

As publicações tiveram acesso às imagens através de uma fonte ligada à investigação, embora tenham optado por não as tornar públicas, decidindo apenas revelar o seu conteúdo por escrito. O jornal Bild relata que o vídeo parece ter sido filmado na parte traseira do avião e mostra o pânico absoluto dos passageiros. Por sua vez, a Paris Match refere que "A cena era tão caótica que era difícil identificar as pessoas". No entanto, pelos gritos emitidos, ficou claro que os passageiros "tinham perfeita noção do que estaria prestes a acontecer", relata a publicação francesa.

De acordo com as descrições, as vítimas deste acidente estariam a gritar "Meu Deus" em vários idiomas e, durante a gravação, foi possível ouvir "barulhos metálicos pelo menos três vezes", algo que pode ser atribuído ao facto de o piloto ter tentado arrombar a porta do cockpit com um machado.

Publicidade

A descrição revela ainda que "perto do fim do vídeo, e depois de um grande abanão, os gritos intensificam-se". Depois fica tudo em silêncio.

Embora não se saiba se o vídeo foi filmado por um passageiro ou por um tripulante, a autenticidade da gravação é inquestionável.

Lufthansa teria conhecimento da depressão de Andreas Lubitz

A Lufthansa quebrou o silêncio esta terça-feira e anunciou que, em 2009, Andreas Lubitz já teria informado a escola de voo que frequentava de que estaria a viver um episódio de depressão grave. Com esta nova informação, é possível que o valor das indemnizações aumente e que a companhia possa vir a ser responsabilizada