A polícia alemã, que está a investigar a casa do co-piloto Andreas Lubitz, que provocou o acidente de voo Germanwings 4U9525 nos Alpes franceses, afirmou à comunicação social que fez uma descoberta "significativa" enquanto realizava buscas na sua casa, perto de Dusseldorf, Alemanha. Em declarações ao Daily Mail, Markus Niesczery, porta-voz da Polícia de Dusseldorf, afirmou: "encontrámos algo que será agora levado para testes. De momento não podemos dizer o que é, mas pode ser um indício muito significativo para o que aconteceu". Ao que tudo indica, esta descoberta pode ser uma pista para explicar o que motivou o co-piloto a provocar o acidente.

Publicidade
Publicidade

No entanto, a polícia já esclareceu que a descoberta não está relacionada com uma nota de suicídio. Sabe-se, ainda, que a equipa de investigação realizou buscas não só no apartamento de Lubitz, mas também na casa dos seus pais, em Montabaur. Segundo alguns relatos, os investigadores foram vistos a remover caixas e grandes sacos azuis de ambas as residências.

As últimas informações vindas a público revelaram que o co-piloto alemão sofreu recentemente uma depressão. Além disso, e de acordo com o jornal alemão Bild, Lubitz estaria a passar por uma "crise pessoal". Desta forma, a descoberta realizada pela polícia poderá estar relacionada com algum medicamento prescrito a Lubitz que poderia ter efeitos secundários. Até ao momento nada está confirmado, mas as teorias da conspiração não param de crescer.

Recorde-se que, através da análise das caixas negras e dos gravadores de voz, Brice Robin, procurador público de Marselha, veio a público dar a conhecer que Lubitz pode ter deliberadamente bloqueado o piloto fora da cabine, para, em seguida, iniciar uma descida a pique que levou à morte das 150 pessoas a bordo do avião.

Publicidade

Até ao momento não existem suspeitas de que este tenha sido um acto terrorista e Lubitz's também não tem registo criminal. A hipótese mais plausível avançada pelas autoridades é a de que o co-piloto pretendia cometer suicídio.

Esperam-se, agora, novos desenvolvimentos de mais um acidente aéreo que assume contornos estranhos.