No Japão, às 14:46 (hora local), 6:46 em Lisboa, fez-se um minuto de silêncio, naquele que foi o preciso momento em que a terra tremeu há quatro anos atrás. Em Tóquio, o primeiro-ministro do Japão, Shinzō Abe, e o imperador Akihito lembraram os que partiram numa cerimónia oficial com os familiares das vítimas. Em Miyagi, no norte do país, as orações começaram cedo, monges budistas rezaram pelas vítimas do tsunami, num dos locais mais afetados. E noutras localidades espalhadas pelo país fizeram-se cerimónias, ainda que mais simples, para prestar tributo às vítimas desta catástrofe.

Numa sexta-feira, dia 11 de Março de 2011, um sismo de 9,0 na escala de Richter fez a terra tremer durante seis minutos.

Publicidade
Publicidade

Com o epicentro ao largo de Miyagi, a quase 400 quilómetros de Tóquio, o abalo foi sentido em todo o país. No mar, as vagas que se formavam faziam temer o pior.

Meia hora bastou para a água ter engolido a terra. Casas e carros foram arrastados pela força do mar, num enorme tsunami que arrasou a costa nordeste do Japão. Em algumas zonas, a onda gigante chegou a ultrapassar os vinte metros de altura. Na região de Fukushima, o fogo derreteu três dos seis reatores da central nuclear. Na altura, mais de cem mil pessoas foram obrigadas a fugir de casa. Com o passar dos dias, a lista de desaparecidos crescia, sendo que muitos nunca chegaram a ser encontrados. De acordo com os últimos dados oficiais, estima-se que o desastre tenha feito dezoito mil quatrocentos e oitenta mortos, em dezoito prefeituras do país.

Publicidade

Para além das cerimónias, e tal como tem vindo a ser tradição, em várias localidades do Japão ativou-se o alarme do tsunami exatamente à hora em que este incidente ocorreu há quatro anos atrás, por forma a recordar o exato momento em que a terra tremeu. De recordar que este tsunami teve epicentro frente à costa de Tokohu, o que deu origem a ondas gigantes.

O sismo, de que não há memória no Japão, está entre os cinco mais violentos alguma vez registados no planeta e foi a pior catástrofe ocorrida no país, logo a seguir às grandes guerras. #Natureza