Quando voluntários da Fundação dos Amigos da Vida Selvagem da Tailândia visitaram um templo budista na semana passada para um check-up rotineiro aos seus #Animais, descobriram algo horrendo: um jovem urso fêmea, de 3 anos, havia sido mantido num quarto escuro, sem sol, nos últimos 2 anos. As fotos de Kwan são absolutamente dolorosas. Cadavérico e sem pelos, é difícil aceitar aquela figura encolhida como um urso. Com o focinho coberto de feridas, mal consegue manter a cabeça erguida. Num derradeiro esforço, virou-se para o seu salvador, no que pareceu um gesto de gratidão.

Após grande insistência, os voluntários conseguiram resgatar o jovem animal e apressaram a levá-lo para o seu centro de tratamento. Lutaram durante toda a noite pela vida de Kwan, mas ela, fraca demais para se alimentar, parou de respirar várias vezes. Apesar de todos os esforços da equipa de voluntários, o pequeno urso não resistiu e morreu poucas horas depois. "Fizemos tudo o que podíamos para mantê-la connosco", escreveu a WFFT. "Estamos todos devastados por esta perda".

Embora Kwan seja um caso pior do que a maioria, ela não caso único. Na Tailândia, onde o comércio de animais exóticos está ainda em crescimento, muitas pessoas adquirem jovens animais selvagens, perdendo o interesse quando estes crescem. A coisa mais fácil a fazer é despejá-los em templo budistas, que são aparentemente "lugares sagrados" onde os animais devem ser protegidos, afirmou a WFFT no Facebook.

Infelizmente, muitos dos animais abandonados nesses templos estão condenados a uma vida de negligência, em pequenas gaiolas. Os monges são bem-intencionados, mas sem preparação para cuidar de animais selvagens. Há casos também de alguns templos, que desavergonhadamente incentivam as pessoas a entregar os animais, criando zoológicos, como aquele em que Kwan foi mantido, para trazer ao templo visitantes e dinheiro.

A WFFT não tem poder para apreender animais e é difícil conseguir que as autoridades ajam quando os culpados são monges. "Os líderes religiosos são como os políticos e pessoas ricas, muitas vezes acima da lei", afirmam.

A história de Kwan é um exemplo extremo, mas a cada ano o comércio ilegal de animais reclama dezenas de milhares de vidas. Muitas mães selvagens são mortas para que as suas crias sejam vendidas para cativeiro. O comércio ilegal de animais selvagens é um negócio lucrativo e perigoso, e só nos Estados Unidos há 5.000 tigres em cativeiro.

Veja a impressionante galeria de fotografias de Kwan - contém imagens que podem ferir as pessoas mais sensíveis. #Natureza