No estado do Colorado, nos Estados Unidos da América, uma criança de 12 anos tentou envenenar a própria mãe colocando lixívia nas suas bebidas, porque esta lhe tirou o iPhone como castigo. A menina começou a ter mau comportamento desde o ano passado e viu, por isso, as suas notas escolares prejudicadas. A mãe já a tinha posto de castigo várias vezes pelos mesmos motivos mas, ainda assim, recebeu pelo Natal o smartphone que tanto desejava, um iPhone. Ao saber das notas da filha, a mulher resolveu colocá-la de castigo. Após pensar sobre o assunto decidiu que não haveria melhor punição do que lhe retirar o iPhone por uns dias.

Assim o fez mas a muito custo porque a filha, para além de não concordar com o castigo, teve atitudes violentas. "Não reconheci a minha filha", diz a mulher, "ela desatou aos gritos e a dar pontapés nas coisas, foi um inferno. Achei que a birra lhe passaria mas ainda fez pior". Nos dias seguintes foi impossível falar com a criança pois sempre que a mãe fazia uma tentativa de aproximação a gritaria recomeçava. Dois dias depois a mãe achou que ela estava mais calma e tentou estabelecer uma conversa que, segundo a mesma, até correu bem. No mesmo dia a filha ofereceu-lhe um copo de sumo e a mãe achou que estaria a "fazer as pazes". Quando pegou no copo para beber sentiu um forte cheiro a lixívia. Confrontou a filha, que, sem mostrar qualquer tipo de emoção, lhe respondeu que a queria matar por esta a ter posto de castigo e lhe ter retirado o iPhone.

A mãe, chocada, recordou-se que no mês passado a menina também tinha estado de castigo e, do mesmo modo, a filha também lhe tinha oferecido um copo de sumo. Nessa noite sentiu-se muito mal a ponto de quase perder os sentidos e passar os  dias seguintes mal do estômago a vomitar constantemente. Decidiu então chamar a polícia local e a criança de 12 anos ficou detida, sendo acusada de duas tentativas de homicídio. Neste momento a mãe está bem de saúde, mas emocionalmente afectada. Como é hábito nos Estados Unidos da América, e devido à atrocidade das suas atitudes, provavelmente a criança será julgada como um adulto. #Crime