Lemz, assim se chama a organização não-governamental holandesa que criou a Sweetie, um avatar tridimensional, hiper-realista, que imita na perfeição uma menina filipina de 10 anos. Durante 10 semanas (de Maio a Julho de 2013) a Sweetie atraiu na internet mais de 20 mil adultos, crentes de que estavam a interagir com uma criança real mas que, na verdade, estava a ser controlada através de uma sofisticada tecnologia do movimento. O robô permitiu identificar 1000 predadores sexuais de crianças, espalhados por 71 países. Três deles eram portugueses.

Sweetie começava por apresentar-se e por dar alguns dados pessoais como a idade e a localização.

Publicidade
Publicidade

Todos os dias a sua função era sentar-se em frente a um computador, com a webcam ligada, tal como centenas de crianças o fazem, na vida real. "Estás sozinha? De certeza?", são algumas das perguntas divulgadas pela Lemz, durante as conversas virtuais. Depois das apresentações, os pedófilos pediam a Sweetie para que tirasse as roupas. Eles faziam o mesmo. Nessa altura, começavam os jogos sexuais, via online, incitados pelos predadores. Mas isto não acontecia uma só vez. Sempre que a Sweetie estava online de imediato era abordada novamente.

A ideia de imitar uma criança das Filipinas não foi inocente, já que o país é conhecido pelo facto dos pais obrigarem os filhos a actos sexuais na internet em troca de dinheiro. A Lemz propõe-se a alterar esta realidade e a salvar os menores Filipinos de terem que se expor em frente a uma webcam, em troca de dinheiro para a família.

Publicidade

No entanto, a Sweetie permitiu perceber que o #Crime está espalhado por todo o mundo e que, a qualquer hora e momento, os predadores sexuais atacam.

Depois de recolhidas todas as informações possíveis sobre os predadores sexuais, 1000 foram identificados. Os dados foram entregues à Interpol e a várias autoridades locais. Só na Austrália 46 pessoas foram detidas por suspeitas do crime de pedofilia. Até ao momento, só um desses suspeitos foi condenado, em Outubro de 2014, e as principais provas que levaram à decisão do Tribunal foram recolhidas pela Sweetie.