O Estado Islâmico está na ordem do dia e há quem não queira ficar de fora. Depois do sketch protagonizado por Dakota Johnson, é agora a vez de noivos egípcios usarem o Estado Islâmico como tema para a sua festa de casamento. Tudo aconteceu em Menoufia, no Egipto, e foi tão realista que alguns convidados pensaram mesmo que se tratavam de um ataque jihadista. Mas tudo não passava de uma encenação propositada.

Farto das tradicionais festas de casamento, este casal egípcio quis inovar para tornar a boda um momento inesquecível. Posto isto, recorreram ao tema quente do momento: Estado Islâmico. Tudo foi organizado ao pormenor pelo noivo e pelo fotógrafo contratado para fazer a cobertura fotográfica do enlace.

Publicidade
Publicidade

O fotógrafo, Ahmed Kassem, acabou depois por publicar um vídeo da cerimónia no seu Facebook, tendo sido depois partilhado centenas de vezes. Os noivos também partilharam várias imagens nas suas páginas pessoais.

No vídeo, podemos ver uma série de homens de cara tapada armados com facas, a conduzirem os noivos para uma jaula, bastante semelhante aquela onde prenderam o piloto da Jordânia antes de o queimar. Depois de entrarem na jaula fechada, começam a dançar, sendo aplaudidos pelos convidados que com certeza nunca foram a um casamento igual.

A música que se ouve no vídeo e que serviu de banda sonora para toda a encenação é a mesma que se ouve em vários vídeos divulgados pelo autoproclamado Estado Islâmico nos últimos tempos, e que, segundo a SkyNews se trata de um hino dos jihadistas.

Publicidade

Segundo um jornal egípcio, que foi citado pela SkyNews, a encenação foi de tal forma realista e inesperada que, inicialmente, muitos dos convidados temeram que se tratasse mesmo de um atentado terrorista.

Assim como aconteceu com o sketch, feito pelo programa Saturday Night Live e protagonizado por Dakota Johnson, o vídeo da cerimónia causou polémica e as opiniões dividem-se. Se por um lado há que aplauda a ideia e o humor usado, muitos afirmam que se trata de uma brincadeira de mau gosto e condenam a atitude.