O ministro iraquiano responsável pelo património histórico revelou que o Estado Islâmico destruiu a histórica cidade de Nimrud, no norte do país. Os terroristas terão utilizado veículos militares pesados para destruir o património arqueológico, um dos mais importantes da história da humanidade, perto de Mosul. Nimrud é um sítio arqueológico, ao redor da cidade assíria de Kalhu. Fundada há mais de 3 mil anos, detinha frescos e peças de arte de valor incalculável, celebradas no mundo inteiro e referenciadas em inúmeras obras sagradas e literárias.

A devastação de Património da Humanidade pelos terroristas do Estado Islâmico faz parte de uma campanha sistemática que visa destruir património arqueológico e histórico que promova a apostasia.

Publicidade
Publicidade

Alguns dos tesouros culturais mais preciosos do mundo, incluindo sítios arqueológicos no berço da civilização, estão em áreas controladas pelo grupo e à mercê dos extremistas, empenhados em exterminar toda a cultura não-islâmica.

O ataque, que vem no seguimento a outros, provocou indignação global. Crê-se também que o Estado Islâmico esteja a vender alguns artefactos no mercado negro, de forma a poder financiar a sua campanha sangrenta. Irina Bokova, directora da UNESCO condenou os recentes ataques e considerou que a destruição deliberada do património cultural, como Nimrud, é comparável a um "crime de guerra".

Eis alguns dos maiores sítios destruídos pelos extremistas e outros que estão sob controlo do grupo:

Nimrud foi a segunda capital da Assíria, destruída em 612 aC, foi um dos achados arqueológicos mais importantes do século XX;

Museu de Mosul, onde militantes do Estado Islâmico destruíram artefactos antigos e o Nirgal Gate, um dos vários portões para Níneveh, a capital do antigo Império Assírio;

No ano passado, os militantes destruíram a centenária Mesquita do Profeta Younis - que se acredita ser o local onde está sepultado o profeta Jonas - e a Mesquita do Profeta Jirjis, dois antigos santuários venerados em Mosul. Ameaçaram destruir também o Minarete de Mosul, com 850 anos, mas os moradores cercaram a estrutura para protegê-lo;

Hatra, cidade com 2300 anos, controlada pelos militantes, Património Mundial da UNESCO. Especialistas dizem que grandes estátuas de Hatra foram destruídas;

Dura Europos, cidade com 2300 anos de idade, uma encruzilhada cultural notavelmente bem preservada; foi a primeira cidade fundada pelos sucessores de Alexandre, o Grande. As imagens de satélite tiradas no ano passado mostram o local cheio de marcas de furos de pilhagem e escavações ilegais;

Mari, uma antiga cidade localizada em Tell Hariri, na província de Deir el-Zour. Acredita-se ter sido habitada desde o quinto milénio a.C. e também tem sido severamente saqueada. #Terrorismo