Pradnya Mandhare é uma jovem indiana, que se tornou numa verdadeira heroína. Após ser atacada por um desconhecido, ela consegue contra atacar, agredir o atacante e levá-lo preso pelos cabelos para a esquadra da polícia mais próxima. Segundo os relatos da jovem às agências noticiosas, ela estava na estação de comboios de Kandivli, de regresso a casa após um dia de aulas na faculdade de Sathaye, quando foi abordada por um desconhecido que aparentava alguns sinais de embriaguês.

A abordagem foi feita, segundo a jovem, de forma inapropriada em plena luz do dia, numa estação de comboios repleta de pessoas que, ao perceber a existência de desacatos entre a jovem o indivíduo, paravam mas nada faziam para ajudar, nem mesmo quando ela se começou a defender ou até mesmo a pedir ajuda.

Publicidade
Publicidade

Pradnya afirma que possivelmente só conseguiu controlar o agressor porque este se encontrava bêbado. Começou por se defender dando-lhe com a mala, mas ao ver que ninguém a ia ajudar viu-se obrigada a recorrer à força, acabando por agarrar o indivíduo pelos cabelos e arrastando-o para a esquadra da polícia da estação de comboios. Ao chegar à esquadra foi confirmado não só estado de embriaguez do atacante, bem como o facto de ele ser toxicodependente e ter 25 anos, mais 5 anos que a sua vítima.

Além disso, no caso de Pradnya Mandhare, a polícia não só foi prestável, como também foi uma grande ajuda, ao prender o indivíduo e ajudar a jovem em tudo o que foi necessário. Motivos pelo quais, ela está extremamente grata às autoridades.

Pradnya Mandhare, faz o alerta para que as mulheres não tenham medo.

Publicidade

É importante que as mulheres não fiquem caladas e procurem a polícia em casos idênticos a este.

Na Índia, são violadas diáriamente cerca de 93 mulheres, e apesar do muitos protestos que já têm vindo a ser feitos, o facto de uma jovem ir à polícia fazer queixa, ou então como foi o caso de Pradnya entregar o agressor, pode trazer algumas consequências graves para a reputação de uma mulher. Porém Mandhare, defende que as mulheres devem erguer a voz e não ter medo de ripostar quando são atacadas ou molestadas.

Numa Índia que luta pelos direitos da mulher, Pradnya Mandhare, trouxe não só uma nova esperança à causa como se tornou num símbolo de heroísmo.