Distante do mundo, no Cairo, Ahmed Gaddaf al-Dam planeia um atentado parecido ao do 11 de Setembro, algo planeado acontecer dentro de 2 anos. O primo de Kadafi anunciou, numa entrevista ao MailOnline, que as forças do Estado Islâmico na Líbia estão em constante recruta de terroristas com o perfil de suicidas. Segundo Ahmed Gaddaf al-Dam "não menos do que um milhão" de emigrantes irão partir da Líbia em direcção à Europa, referindo ainda que irá preparar um ataque terrorista de grande escala.

As autoridades europeias não cedem à pressão, considerando que existem muito poucas probabilidades de que a ameaça realmente seja verdadeira e que esteja nos emigrantes, uma vez que os ataques feitos na Europa foram realizados por terroristas que nasceram no meio europeu.

Publicidade
Publicidade

Segundo Ahmed Gaddaf, os militares islâmicos começaram a desencaminhar as suas forças para emigrarem rumo à Europa, levando-os assim para os seus campos de treino e formando os soldados com a promessa de "virgens brancas". Ao longo da entrevista, o primo de kadafi insiste estar a trabalhar para salvar a Líbia.

Recordemos que o primo do falecido ditador Muamar Kadafi foi preso pelas autoridades egípcias no dia 19 de Março de 2013, depois de um tiroteio com a polícia na sua residência. Foi detido por crimes contra a humanidade e regime ditatorial. Era um homem de extrema confiança de Kadafi e liderava um departamento de coordenação dos laços entre a Líbia e o Egipto.

Em 2011, o conselho Europeu tinha adoptado sanções a Gaddaf, que, por sua vez, consistiam no congelamento de bens e proibição do visto.

Publicidade

Várias pessoas foram sancionadas, incluindo Gaddaf, pois suspeitava-se que desde 1995 já liderava um exército enorme que pertencia à segurança de Kadafi. O conselho apresentou os mesmos motivos para manter Gaddaf na lista em 2013 e 2014. No dia 24 de Setembro de 2014, o conselho não apresentou nenhuma prova a respeito do nome de Gaddaf permanecer na lista em 2013 e o TGUE suspendeu a sentença até que o tribunal da justiça se pronunciasse. #Terrorismo