Pormenor que parece não ser relevante para o presidente russo: a medalha "Pelos Serviços à Pátria" foi para Andrei Lugovoi, enquanto que Ramzan Kadyrov levou para casa a Ordem de Honra "pelos seus êxitos no trabalho, pela sua actividade social e pelos seus muitos anos de serviço honesto para o bem do Estado". Tudo correcto até aqui: homens bons merecem medalhas. Mas o facto do deputado Lugovoi ser o principal suspeito no homicídio de Alexander Litvinenko e de Kadyrov ser uma espécie de melhor amigo do suposto assassino de Boris Nemtsov, ensombra um pouco estas honras.

É importante recordar que Litvinenko era um ex-espião bastante feroz nas suas críticas ao governo de Putin e que se encontrava refugiado em Londres, onde foi envenenado em 2006, com polónio 210, alegadamente por Lugovoi.

Publicidade
Publicidade

Andrei Lugovoi é também ex-espião e posteriormente foi eleito deputado e vice-presidente da comissão de Segurança e Anticorrupção da Duma (a versão russa do nosso Parlamento). Os pedidos de extradição por parte das autoridades do Reino Unido têm sido sempre recusados por Moscovo. Não só Lugovoi não foi ainda julgado pelo seu suposto crime, como recebe agora uma medalha.

Ramzan Kadirov é o famoso líder checheno e fiel aliado de Putin, conhecido pela sua violência excessiva e por ter defendido imediatamente Zaur Dadaev, que faz parte do grupo de cinco suspeitos chechenos detidos pela recente morte de Boris Nemtsov. Que como Litvinenko era crítico assíduo de Putin e da sua forma de governo. Nemtsov foi assassinado em Fevereiro, perto do Kremlin.

Dmitri Peskov, porta-voz do Kremlin, afirmou tratar-se de apenas uma coincidência a condecoração de Kadyrov logo no dia a seguir à detenção dos cinco chechenos, revelando: "Os documentos das condecorações são preparados com muitos meses de antecipação".

Publicidade

Para além disso não foram feitos mais comentários oficiais. Mas Kadyrov manifestou-se hoje através da sua conta de Instagram, falando de Putin: "Entregar a vida por uma pessoa como ele seria fácil. Garanto que cumprirei qualquer ordem, resolverei qualquer problema por mais difícil que seja, custe o que custar".