Ainda a propósito da queda do avião da companhia alemã Germanwings, que na passada terça-feira vitimou 150 pessoas, as notícias que nos chegam para justificar o acidente são cada vez mais agoniantes. Ao que tudo indica o acidente foi causado deliberadamente pelo próprio co-piloto. Depois de recuperada a primeira caixa negra, que continha o áudio do cockpit, os peritos na investigação adiantaram ainda na noite de ontem a possibilidade de que um dos pilotos tivesse ficado fechado fora do cockpit e que, quando tentou voltar a entrar, ninguém lhe respondeu.

No entanto, ainda não conseguiram encontrar explicação para o que o piloto fazia fora do seu sítio.

Publicidade
Publicidade

Já hoje, a hipótese de um acidente provocado começa a ganhar forma. De acordo com a imprensa internacional que cita as informações dadas pelo responsável francês pela investigação, o acidente foi mesmo causado pelo co-piloto Andreas Lubitz que, depois de trancar o cockpit, iniciou a queda do avião. Andreas é um piloto alemão, formado nas escolas da Lufthansa, de 28 anos que estava na empresa desde Setembro de 2014, tendo no total 630 horas de voo.

A confirmarem-se estas suspeitas consegue-se perceber mais facilmente o motivo pelo qual não foi feito qualquer pedido de ajuda por parte do avião, sendo que, de acordo com a investigação, é possível afirmar que o piloto esteve consciente até ao momento do impacto. Até agora ainda não foi feita nenhuma ligação entre o piloto e qualquer célula terrorista.

Publicidade

Avançam sim com a hipótese de um possível suicídio premeditado.

Nos Alpes Franceses começam a chegar hoje os familiares e amigos das vítimas, um total de 400 pessoas que pretendem prestar uma homenagem. A Lufthansa disponibilizou-se a transportar desde Espanha e Alemanha estes familiares, sendo que já estão a ser recolhidas amostras de ADN dos mesmos para confirmar com as das vítimas. Contudo, houve um grupo de espanhóis que fez-se deslocar até ao local do acidente de autocarro, por não querer andar de avião. Os corpos começaram a ser retirados ontem ao final da tarde.