É cada vez mais comum entre os milhões de utilizadores do Facebook que surjam encontros que deviam ser amorosos mas que não passam de autênticas dores de cabeça. Já houve queixas de chantagem, de pedofilia, roubo de identidade, ameaças, entre outros. Agora chega mais uma queixa: roubo.

Para que o #Crime resulte, a relação tem que deixar de ser virtual para se tornar real. Combina-se um encontro com um homem, veste-se o melhor vestido, corpo perfumado. Encanta-se com o exterior. Depois alicia-se o homem a ir até casa, oferece-se um café e uma bebida. Tudo corre bem até que... Na bebida há um soporífero forte que faz o homem adormecer.

Publicidade
Publicidade

Espera-se que a vítima caia num sono profundo e abre-se a porta a dois amigos que ficam encarregues de "limpar" a casa. Televisões, computadores, objectos de valor, ouro, tudo desaparece numa fração de segundos. A vítima fica agarrada a uma cadeira, com alguns golpes de faca para garantir que não vai contar a ninguém o que aconteceu.

Parece um guião de uma novela. Mas não é. Este foi o modus operandi de Sofia Dávila, uma jovem residente nos arredores de Buenos Aires, Argentina, que aliciou um homem de 39 anos até conseguir entrar no seu apartamento. Assim que a vítima adormeceu, entraram os amigos e o apartamento ficou reduzido a muito pouco. As agressões ao homem também não foram esquecidas, porém, Sofia cometeu um erro.

Por temer que o homem a identificasse às autoridades, resolveu ligar à polícia a contar o sucedido, mas apresentou-se como sendo vítima.

Publicidade

Sem ferimentos e sem sinais de arrombamento na porta, a polícia estranhou desde o primeiro instante a história da jovem. De tanto insistir em alguns pormenores, Sofia ter-se-á começado a contradizer e mostrou pouca segurança na história que contara. Entretanto, o homem foi hospitalizado e as análises revelaram a dose de soporífero que o deixou a dormir enquanto o assalto acontecia.

Sofia Dávila está agora detida e vai responder pelo crime cometido. Os outros dois amigos que ajudaram no golpe ainda não foram encontrados, nem os objectos roubados.