Três irmãs encontram-se detidas há mais de duas semanas, numa demonstração assustadora da repressão nos Emirados Árabes Unidos, encontrando-se em risco de tortura e de outros maus-tratos. A convocatória para um inquérito na prisão, onde o irmão estava detido, deu-se a 15 de Fevereiro, após uma delas ter postado um comentário de dissensão no Twitter. Desde então, encontram-se incontactáveis.

As três mulheres encontram-se desaparecidas devido ao facto de Alma Khalifa al-Suwaidi, uma das irmãs, ter tentado chamar à atenção, numa rede social, para o julgamento injusto do seu irmão, tendo escrito que tinha saudades do mesmo. As três irmãs têm estado a fazer campanha pacífica na internet pelo seu irmão, Issa al-Suwaidi, após o mesmo, juntamente com 68 outras pessoas, ter sido condenado, em 2013, num julgamento em massa a 94 críticos do governo, um julgamento injusto conhecido como "UAE 94".

Após terem ido à polícia para o inquérito, as irmãs nunca voltaram para casa e não tiveram qualquer contacto com a família. De acordo com a Amnistia Internacional, a mãe recebeu um breve telefonema de alguém a alegar ser um oficial da Segurança do Estado a dizer que as suas filhas estavam bem, mas sem ter fornecido informações adicionais. Crê-se que as irmãs não tiveram acesso a qualquer advogado. Tal como elas, familiares de outros prisioneiros condenados no UAE 94 foram também ameaçados, intimidados ou detidos após criticarem o julgamento no Twitter.

Apesar de se tentar "vender" como um dos Estados mais abertos e progressivos da região, os Emirados Árabes Unidos têm uma longa história de abafar violentamente a dissensão, condenando a expressão pacífica de críticas sem qualquer retaliação impossível. Segundo documentos da Amnistia Internacional, os Emirados Árabes Unidos têm o hábito de levar os detidos, através da Segurança do Estado, para instalações secretas de detenção onde são mantidos sem qualquer comunicação exterior, durante semanas ou mesmo meses, onde são frequentemente torturados ou sujeitos a desaparecimentos forçados.