Um Boeing 777-300 ER, da Turkish Airlines, aterrou hoje, 30 de Março, ao início da tarde, de emergência no Aeroporto Internacional de Casablanca Mohammed V. Em causa estaria a presença de uma bomba a bordo. Os passageiros já foram todos evacuados do aparelho, encontrando-se de momento aguardar nas instalações do aeroporto. O Boeing 777-300 ER, por seu turno, está sob o controlo das Forças de Segurança Marroquinas.

O voo com o número TK15 partiu de Istambul, na Turquia, com destino a São Paulo, às 10h18 (8h18 em Lisboa). A viagem esperava-se que durasse aproximadamente 12 horas, pelo que a chegada ao Brasil estava estimada para as 16h10, horas locais (20h10 em Lisboa).

Publicidade
Publicidade

No entanto, uma nota encontrada numa das casas de banho do aparelho com a palavra "bomba" escrita forçou a tripulação a emitir um alerta de emergência. Por esta altura o avião já voava 17 700 pés (cerca 5400 metros), quando estava previsto que voasse a 32 000 pés (aproximadamente 9700 metros). A partir daqui foram accionados os procedimentos de segurança e tudo foi preparado para que o avião pudesse aterrar o mais rapidamente possível. A bordo seguiam 256 passageiros.

Este incidente dá-se depois de ontem, dia 29 de Março, uma outra ameaça de bomba ter levado um voo, também da Turkish Airlines, que fazia a ligação entre Istambul e Tóquio, a regressar a Istambul. Na nota de ontem podia ler-se "C4 Cargo", o que levou a tripulação a questionar se existiam explosivos a bordo e a activar os procedimentos de segurança para uma situação desse género.

Publicidade

Nos últimos momentos, a imprensa Brasileira avança que as autoridades marroquinas não encontraram nada a bordo do Boeing 777-300R com destino a Terras de Vera Cruz. Estas foram todas as informações que se conseguiram apurar até ao momento.

Estes acontecimentos recentes, adicionados a outros não menos recentes (queda do Airbus A320 da Germanwings, do Airbus da Air Asia e dos incidentes com os dois aviões da Malasia Airlines: um desaparecido, outro abatido), levam as pessoas a questionar se continua a ser assim tão seguro viajar de avião.