No início da presente semana, a Igreja Universal do Reino de Deus, no Brasil, veio a público anunciar mais uma das suas conhecidas campanhas de marketing difundida pelos vários meios de comunicação. Desta vez, esta Igreja declarou que está a efectuar a venda de terrenos no céu ou, por outras palavras, colocou "escrituras da sociedade de Deus à venda".

Este "negócio" funciona da seguinte forma: o fiel seguidor de Deus receberá um contrato que lhe dará direitos sobre o "Criador", em troca de "um generoso contributo para continuar a difundir a palavra do Senhor, bem como ajudar quem mais está a precisar".

De acordo com informações recolhidas junto da IURD, mediante um valor depositado, nunca inferior a 150 mil euros, qualquer pessoa irá receber uma escritura que lhe garante direitos sobre Deus, passando desta forma a ser sócio do Criador, neste caso.

Publicidade
Publicidade

Entre os poderes concedidos, há a possibilidade de exigir bênçãos para si e para familiares próximos que anteriormente só podiam ser obtidas depois das rezas e do acto mensal designado como 'dizimo'.

Para autenticar o 'contrato celebrado com Deus' e para este seja "legal aos olhos do mesmo" será pedida a ajuda de cerca de 70 pastores. Após reunião com estes servos de Deus, será realizada uma celebração em que é derramado sangue de um cordeiro sobre o contrato. A partir daí a pessoa em causa terá que esperar pela sua morte e usufruir de tudo aquilo que adquiriu junto da IURD.

Na internet já é possível ver um vídeo de um programa da IURD feito na televisão por cabo, da própria igreja, em que um pastor, durante uma homilia, exorta os seus fiéis à compra estes "contratos da fé" que não são mais do que escrituras de terrenos no céu.

Publicidade

A compra faz-se em papel, e depois a pessoa terá direito a um terreno exclusivo para si no céu. Recorde-se que estes terrenos não têm um custo fixo, porém não serão vendidos por menos de 150 mil euros.

A BlastingNews tentou obter uma declaração junto da Igreja Universal do Reino de Deus em Portugal, mas tal não foi possível. Um porta voz da IURD referiu que para já não presta declarações sobre esta acção que está a acontecer no Brasil, nem abordou se o mesmo se irá verificar no nosso país. Todavia, deixou no ar que nos próximos tempos haverão novidades para todos os fiéis lusos. #Negócios #Religião