Jessica Knight, uma menina do Reino Unido com quatro anos, sofre de um transtorno chamado alotriofagia (vulgarmente chamado de Transtorno de Pica) que a faz não conseguir parar de comer o tapete de sua casa. Embora o tapete seja o seu favorito, a menina também come areia e pedras. Os seus familiares, kelly (mãe) e Chris (pai), chegaram mesmo a ter de lhe oferecer uma malinha com um tapete cortado em bocados pequenos com receio de que Jessica pudesse vir a engasgar-se com pedaços maiores. Kelly percebeu que algo não estava bem com a menina tinha ela apenas dois anos.

Viu-a comer partes do sofá em pele que a família tinha em casa, e a comer o cavalo de madeira da irmã. Estranhou a situação, mas apenas lhe explicou que lhe podia fazer mal e deixá-la doente. A situação foi piorando ao ponto de Jessica se esconder num armário a comer pedaços de cadeiras, de almofadas e de outros objectos. Quando Jessica começou a ser acompanhada no hospital local, os pais já tinham retirado de casa muita da sua mobília e tapeçarias como medida de segurança.

Segundo os especialistas nenhuma terapia resulta antes da menina completar seis anos e vão ter de aguardar pelo seu desenvolvimento cognitivo. O tratamento para o Transtorno de Pica geralmente consiste na aplicação de doses de multi-vitamínicos e de técnicas de aversão aos "alimentos". Em 95% dos casos de pacientes com o Transtorno de Pica, verifica-se uma cura permanente e deixa de haver obsessão alimentar por objectos. Entretanto a situação de Jessica tem de ser controlada pelos pais, que até agora lhe têm dado pedaços pequenos de objectos que sejam o mais moles possível. #Curiosidades

O nome da doença de Pica tem a sua origem num pássaro. Pica significa 'pega' em latim que é uma ave que come praticamente de tudo. A doença pode ocorrer em todas as idades, mas é mais frequente em crianças pequenas e em grávidas. É um transtorno bastante perigoso que pode levar a muitos problemas de saúde. Os doentes com Pica podem ingerir materiais tóxicos ou que sejam difíceis de digerir, resultando muitas vezes na sua hospitalização.