A história há muito que circula nos corredores do Palácio da família real inglesa. Charles e Diana terão sido pais antes de casarem. Parece estranho, mas o que Sarah alega é que a Rainha Elizabeth II obrigou Diana a provar que era fértil. O facto de ser plebeia e de não reunir consenso dentro da família real quebrou muitas barreiras, no entanto, o certo é que Diana se casou com o príncipe Charles. Aliás, Diana nunca se comportou só como uma princesa, ela abraçou causas, mudou mentalidades e definiu um novo estatuto para o título que recebera. Era conhecida como a princesa do povo e nunca deixou de lutar contra a fome em África e contra a guerra no Médio Oriente.

Publicidade
Publicidade

Mas tudo isto parece ter tido um custo no passado: Diana terá sido obrigada a doar dois óvulos para serem fertilizados pelo esperma do príncipe. O objectivo era simples: garantir que a plebeia conseguia gerar um filho real. Os óvulos foram fertilizados e a Rainha exigiu que fossem destruídos. Um foi, o outro não. Um dos médicos que participou neste ensaio não conseguia ter filhos com a esposa e, em segredo, resolveu ficar com um dos óvulos fertilizados e implantou-o no útero da mulher. Dez semanas após o casamento real em Inglaterra, em Outubro de 1981, Sarah nasceu. Durante 20 anos acreditou que os pais que a criaram eram os verdadeiros e nunca levantou suspeitas sobre isso. O problema foi quando um acidente de carro matou os pais da menina e o diário da mãe revelava toda a história.

Publicidade

A primeira a escutar tudo foi Kate, que passou a palavra ao marido. O duque de Cambridge, William, acreditou e convenceu o pai a ouvir a história da rapariga. O primeiro impacto foi tudo menos positivo. Sarah foi acusada por Charles de se querer aproveitar dele, a jovem respondeu com oura acusação: "Mataste a minha mãe". Palavras duras trocadas entre ambos e tudo caiu no esquecimento. Até que uma fotografia põe a nu todas as semelhanças entre Diana e Sarah. Essa mesma fotografia levou o príncipe aos Estados Unidos para tirar tudo a limpo. A viagem com Camila Parker-Bowles foi preparada em segredo e o encontro também seria secreto, não houvesse câmaras de vigilância no local.

A família real está a tentar abafar o caso, impedindo a divulgação das imagens e escondendo a fotografia mas não está a ser tarefa fácil. Esta atitude revela que Charles não vai fazer nenhum teste de ADN para confirmar a história de Sarah, que garantiu querer ficar a viver longe de Inglaterra, para não ter que ouvir falar no príncipe. #Famosos