Troy e Brandi Thompson são um casal norte-americano que no passado dia 4 de Março viu nascer o seu pequeno filho, Timothy Eli Thompson. A particularidade desta família é que a história de Timothy está a comover o mundo, pois o menino nasceu sem nariz e sem cavidades nasais. A história, e as consecutivas fotografias do menino, foram partilhadas na Internet através da rede social Facebook porém, as mesmas fotos foram banidas da página, por ordem do próprio Facebook, por serem consideradas controversas.

Brandi Thompson, a mãe da criança, não se cansou de, nas horas seguintes, continuar sucessivas vezes a partilhar a foto e a mesma a ser sempre censurada.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a mãe, que escreveu também na sua página pessoal, "Enoja-me que possa ver fotografias de mulheres seminuas, drogas e tanto pessimismo, mas o meu filho seja considerado muito controverso".

Em cerca de seis horas a fotografia de Timothy tornou-se viral. Cada vez que Brandi voltava a postar a foto escrevia como legenda a seguinte mensagem: "Ninguém me vai impedir de publicar fotografias do meu filho. Ele está em todo o lado, tornou-se viral". Assim, a foto foi partilhada cerca de 20 mil vezes e os internautas começaram a exercer uma grande pressão junto da rede social que acabou por recolocar de novo a foto na página. Apesar de tudo também não faltaram aqueles que com o seu humor negro chamaram diversos nomes ao pequeno Timothy.

Este bebé nasceu com uma doença rara, mais conhecida como arrinia congénita completa, sendo que em todo o mundo são apenas conhecidos 38 casos.

Publicidade

Cinco dias depois do seu nascimento, Timothy foi submetido a uma traqueotomia, sendo que se encontra bem de saúde. De acordo com os médicos serão realizadas diversas cirurgias para dar à pequena criança a possibilidade de respirar e alimentar-se em condições, o que deverá acontecer já na adolescência.

De recordar que este não é o primeiro caso em que o Facebook censura as fotos de crianças que nasceram com alguma má formação, uma vez que já em 2012 se tinha passado o mesmo que agora.