Nesta quinta-feira, dia 9 de abril, a Grécia irá realizar o pagamento dos cerca de 450 milhões de euros de um empréstimo feito pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), cumprindo assim a data limite prevista. Uma fonte do Ministério das Finanças grego terá adiantando que a transferência já foi efetuada, mas tal informação ainda não foi confirmada por parte do FMI. Nos últimos dias terão surgido rumores que a Grécia não iria pagar por impossibilidade financeira. Esses rumores terão sido acentuados quando o ministro do interior grego, Dimitris Mardas, deu a entender durante uma entrevista que a Grécia daria prioridade ao pagamento de pensões e salários.

Publicidade
Publicidade

O Ministro das Finanças Yanis Varoufakis terá garantido este fim-de-semana, durante um encontro com Christine Lagarde, diretora-geral do FMI, que o pagamento do empréstimo iria ser efetuado a tempo e horas.

Na quarta-feira passada a Grécia terá acrescentado uma proposta que assenta em quatro pilares. O primeiro pilar envolve, a adoção de 70% das reformas estruturais que fazem parte do atual Memorando de Entendimentos assinado com a Troika, sendo as restantes 30% substituídas por 10 reformas estruturais. O segundo pilar passa por uma revisão do saldo das contas públicas excluindo os juros da dívida. O terceiro pilar envolve um novo plano para resolver o problema da dívida acumulada. O último pilar é focado na crise humanitária, passando por subsidiar refeições de 300 mil famílias, pagamento do 13.º mês para pensões brutas até 700 euros, o direito ao acesso gratuito aos cuidados de saúde, passe dos transportes públicos a pessoas que sejam desempregados de longa duração e cidadãos em limite de pobreza e ainda ajuda no subsídio de rendas de 30 mil apartamentos.

Publicidade

A Grécia irá também pedir a extensão do limite atual de bilhetes de tesouro no valor de oito mil milhões de euros, para poder assim chegar aos 23 mil milhões de euros. Com estes oito mil milhões de euros e o empréstimo da Troika, o país grego poderá cobrir todas as suas necessidades de financiamento até setembro deste ano. #Política Internacional