No dia em que Hillary Clinton confirmou a sua campanha para as presidenciais de 2016, Hollywood ouviu. Em Los Angeles, onde decorreu a entrega de prémios MTV Movie Awards, a apresentadora Amy Schumer fez uma piada com a candidatura, anunciada algumas horas antes pelo Twitter. "A Hillary Clinton finalmente anunciou que vai ocupar o lugar do Zayn nos One Direction", gracejou a comediante, referindo-se à saída de um dos elementos da banda britânica. "A primeira mulher nos One Direction. Nunca pensei que viveria para ver esse dia!".

Mas momentos antes, na passadeira vermelha - que por acaso era azul -, algumas celebridades tiveram uma reação mais séria à já esperada candidatura, que promete uma campanha muito quente no próximo ano.

Publicidade
Publicidade

Charlamagne, personalidade da rádio que participa no programa da MTV "Guy Code", disse à Blasting News Portugal que vai definitivamente votar em Hillary Clinton e que será uma grande surpresa se ela não vencer.

"Penso que ela vai ganhar, tem mais do que uma probabilidade" referiu o radialista, conhecido por não ter papas na língua. "Não vamos voltar aos homens brancos de sempre como presidentes. Precisamos de novidade", acrescentou, referindo que Hillary não é como Sarah Palin, a ex-governadora do Alaska que em tempos foi uma promessa para os Republicanos mas acabou por se tornar um problema. Charlamagne (nome artístico de Lenard McKelvey) referiu que Hillary é uma candidata muito viável e com grande experiência na Casa Branca. "Tivemos um presidente negro, agora precisamos de uma mulher como presidente", afirmou.

Publicidade

"Não sei porque é que não haveria de ganhar. Se não ganhar, terei de gritar que é machismo".

A candidatura da ex-primeira dama provocou ondas de excitação, agora que é oficial e que vai começar a campanha nas ruas no estado do Iowa. Mas é possível que Hillary tenha de concorrer para ganhar a nomeação pelos Democratas. De acordo com a mais recente sondagem da Bloomberg, 72% dos democratas e independentes dizem que é positivo se houver um novo candidato a competir com Hillary pelo lugar. Exatamente como aconteceu em 2008, quando Hillary Clinton enfrentou Barack Obama e perdeu, tendo depois servido como Secretária de Estado do presidente democrata.

Do outro lado, as presidenciais de 2016 já têm três candidatos republicanos, Rand Paul, Marco Rubio e Ted Cruz. Este último apressou-se a emitir um comunicado criticando a candidatura de Clinton, assim que esta deu a confirmação. Na Califórnia, um estado que tipicamente vota Democratas, os partidarismos já começaram e são muito visíveis. "Eu voto Ted Cruz porque ele tem 'tomates' e promete acabar com o Obamacare e com o IRS", lê-se nas carrinhas de uma empresa de construção em San Pedro, no sul do Estado. E tendo em conta a elevada população hispânica, a frase repete-se em espanhol, por baixo. "Yo voto Ted Cruz porque el tiene cojones". #Eleições #Política Internacional