A área de Holborn foi na quarta-feira passada evacuada, devido a um incêndio que aí deflagrou e se ficou a dever a um curto-circuito em cabos eléctricos subterrâneos. O alerta foi dado por populares, cerca das 12h30, que se aperceberam da saída de fumo de uma tampa no pavimento. As imagens que foram sendo partilhadas ao longo da tarde nas redes sociais mostravam muito fumo a sair das tampas dos esgotos.  Apesar da rápida intervenção dos Bombeiros de Londres, só ontem de manhã o fogo foi dado como extinto.

A rua onde deflagrou o incêndio foi encerrada ao tráfego pela polícia, que montou ainda um perímetro de segurança de vinte cinco metros e evacuou vários edifícios, cafés e restaurantes. A estação de metro local teve também de ser encerrada, para facilitar o controlo do tráfego, uma vez que se trata de uma estação muito movimentada em horas de ponta. Entre os edifícios evacuados, estão vários prédios de escritórios, uma parte das instalações da London School of Economics, alguns teatros e tribunais.

Os serviços de emergência e os bombeiros tiveram que aguardar pelo corte de energia dos cabos para poder combater o incêndio. O corte da electricidade levou a que muitos estabelecimentos das áreas circundantes, que não foram afectadas pelo fogo, ficassem também sem fornecimento de energia.

A zona onde deflagrou o incêndio fica no centro de Londres, muito perto do West End, onde se concentram alguns dos mais prestigiados teatros da capital inglesa, bem como museus e ainda a famosa rua comercial de Oxford Street. Não houve registo de feridos, mas de acordo com testemunhas, era difícil respirar no local, devido às intensas nuvens de fumo que cobriam uma área considerável daquela zona.

Trinta e seis horas depois da deflagração, o fogo foi considerado extinto, mas cerca de cinquenta bombeiros permaneceram no local, enquanto os técnicos continuaram a trabalhar para restabelecer o fornecimento de energia a um número considerável de clientes.

O fogo fez com que oito teatros fossem obrigados a cancelar os seus espectáculos, num fim de semana prolongado de quatro dias em que se previa uma forte afluência de turistas nacionais. Por outro lado, vários estabelecimentos comerciais tiveram de permanecer encerrados ao público por mais um dia, devido ao corte de electricidade.