Marc Morano fazia a cobertura de uma conferência no Vaticano e perguntou qual era a opinião de Ban Ki-Moon (secretário-geral das Nações Unidas), presente na conferência, acerca de um grupo de cientistas que esteve em Roma para pedir ao Papa que reconsiderasse a sua posição acerca do "aquecimento global". Morano foi então aconselhado, pela segurança do Vaticano, a "controlar-se ou ser escoltado até à saída", noticiou James Delingpole, no Breitbart, terça-feira. O referido grupo de cientistas, que estiveram em Roma, vinham do Heartland Institut. Este instituto é conhecido por ser uma das instituições científicas que lidera a contestação à "doutrina do aquecimento global", diz Monckton, do Instituto.

Morano é tambem correspondente do Heartland Institut e estava com Lord Christopher Monckton (do Heartland Institut), mas não eram bem-vindos. Precisamente por serem conhecidos como cépticos do aquecimento global, que "não é mais do que um esquema financeiro, montado para em nome de uma improvável acção humana no aquecimento global se taxar o planeta com impostos até à pobreza", refere Lord Monckton. "O aquecimento global que se verifica é de responsabilidade do sol, que está em pico de actividade, não se pode responsabilizar a humanidade com impostos por aquilo que o sol faz", diz Monckton.

Um membro do Vaticano conhecia Morano e Monckton. E ficou surpreendido por ambos terem conseguido contornar a segurança do Vaticano. "Então conseguiu chegar até aqui?", perguntou o representante do Vaticano. O que aconteceu foi que uma tempestade súbita de chuva torrencial e trovões, antes da conferência, fez folgar a segurança. Morano e Monckton apenas aproveitaram a folga da guarda

Os cépticos Morano e Monckton ficaram sob observação apertada durante o tempo que lhes restou na conferência de imprensa.

É de lembrar que a conferência fazia parte de um programa estabelecido pelo Vaticano para "moralizar" o ambiente. O Vaticano vai criar um importante instrumento papal, a Encíclica, para divulgar e criar um "imperativo moral", com o intuito de "alertar" a humanidade para o "aquecimento global". Mas a doutrina tem sido contestada pelos cépticos do aquecimento global.

Lord Monckton é também conhecido por furar a segurança da entrada de uma outra conferência na África do Sul, onde se debatia o "aquecimento global". Impedido de entrar no país, Monckton alugou um avião num país vizinho e saltou de pára-quedas para a conferência. Foi a primeira vez na sua vida que o cientista saltou de pára-quedas. #Ambiente