Para muitos viajar de avião é um sacrifício, para outros é uma vontade que tentam realizar de qualquer forma. Que o diga Mario Steven Ambarita, um jovem indonésio de 21 anos, cuja vontade de regressar à sua cidade de origem, Jacarta, não o impediu de viajar no compartimento do trem de aterragem, colocando assim a sua vida em risco, uma vez que o aparelho atingiu os 10 mil metros de altitude.

De acordo com as informações recolhidas por parte das autoridades, este jovem estudou durante um ano o tráfego aéreo do aeroporto, sendo que esta quarta-feira, 8 de Abril, decidiu esconder-se no trem de aterragem de um Boeing 737-800, da companhia Garuda Indonesia, numa ligação entre as ilhas nacionais de Samatra e Java.

Publicidade
Publicidade

A viagem durou aproximadamente uma hora mas a altitude que o aparelho alcançou fê-lo enfrentar temperaturas negativas e a falta de oxigénio. Contudo, o jovem sobreviveu, sendo encontrado, quando o avião chegou ao seu destino, apenas a sangrar do ouvido e a cambalear. Foi de imediato assistido por especialistas e encontra-se neste momento estável e a recuperar.

Contudo, esta não é a primeira vez que acontece uma história assim. Em 2014, um jovem de apenas 16 anos sobreviveu também a uma viagem de cinco horas, escondido igualmente no trem de aterragem. O jovem, que havia fugido de casa em São José, nos Estados Unidos, apanhou um avião da companhia Hawaiian Airlines que fazia a ligação entre Califórnia e Havai. Durante a viagem o aparelho atingiu os 11 mil metros de altitude e, no compartimento em que se escondeu, as temperaturas chegaram aos 60 graus negativos.

Publicidade

Impossível de sobreviver, não é? Na verdade os especialistas acreditam que o jovem deverá ter perdido os sentidos e que mais de metade da viagem foi feita em estado de hibernação. Cerca de uma hora depois de aterrar o rapaz recuperou os sentidos e foi visto a andar na pista.

De acordo com as informações oficiais, entre a década de 40 e o ano de 2012 viajaram no trem de aterragem 96 pessoas, sendo que apenas 23 dessas sobreviveram.