Mário Jardel, que durante a sua carreira como futebolista jogou em Portugal no Futebol Clube do Porto, Sporting e Beira-Mar, caiu no esquecimento quando abandonou os relvados. No ano passado, voltou a ser notícia ao surpreender com o anúncio de que seria candidato a deputado estadual pelo Partido Social Democrata (PSD). Foi eleito no estado de Rio Grande do Sul, mas agora, após demitir os funcionários do seu gabinete, pediu baixa médica e ficou incontactável.

A justificação que o ex-futebolista indicou para o afastamento temporário foi uma depressão e a validade da baixa médica termina no dia 9 de Abril, devendo por isso regressar à assembleia ainda esta semana.

Publicidade
Publicidade

Quase todos os funcionários que trabalhavam no seu gabinete, e que foram indicados pelo partido, foram despedidos. Jardel ter-se-á desentendido com o seu pessoal, por este estar a tomar decisões sem o consultarem.

O chefe de gabinete, Cristian Lima, em declarações à imprensa, disse que os despedimentos tiveram diferentes razões, entre as quais suspeitas de corrupção e de lavagem de dinheiro. Consequentemente, este afastamento levou a que um dos grandes reponsáveis pela eleição de Jardel, Darnlei Hinterholz, que jogou com ele no Grémio, tivesse decidido afastar-se, cortando relações políticas e pessoais, por considerar que o deputado falhou "em princípios éticos como lealdade, confiança e consideração".

Um dos funcionários que terá escapado à onda de despedimentos, disse que não há notícias dele desde o dia 1 de Abril e refere que ele estava emocionalmente instável.

Publicidade

Já o chefe de gabinete fez algumas revelações surpreendentes: Jardel não podia falar ou votar e andaria a receber ameaças, inclusive de morte, por parte de pessoas do seu gabinete. Devido a estas ameaças, e por motivos de segurança, terá recebido aconselhamento jurídico para desaparecer temporariamente. Terá até cancelado uma visita a Portugal para visitar familiares.

Mário Jardel tornou-se deputado estadual nas eleições de Outubro passado, com uma votação surpreendente. Após ter sido eleito, não escapou a uma onda de críticas nas redes sociais que o levou a evitar fazer declarações durante uns tempos. Depois desta fase menos positiva, voltou a expor as suas ideias publicamente.