A imagem que já circulam mostram a violência de uma trágica colisão frontal entre um autocarro que transportava uma delegação de jovens atletas e um camião cisterna, no deserto marroquino. O acidente, que ocorreu durante esta manhã de sexta-feira, 10 de Abril, vitimizou pelo menos 31 pessoas e feriu mais 9, segundo a imprensa local. O jornal espanhol ABC avança que a maioria das vítimas são crianças. Entre as vítimas, destaca-se o nome do atleta marroquino Mohamed Sukar.

Os sobreviventes do acidente foram de imediato transportados para o hospital Hassan II, em Tan-Tan. Há dados que avançam que, entre os feridos da colisão e incêndio rodoviário, pelos menos duas pessoas encontram-se em estado muito grave e continuam a receber assistência médica.

Publicidade
Publicidade

A agência de notícias estatal de Marrocos MAP, citando as autoridades, informou que o acidente ocorreu pouco antes do nascer do sol, por volta das 7 da manhã, no bairro Chbika, perto da cidade de Tan-Tan, no sul do país. O autocarro, que tinha partido de Rabat, regressava de um campeonato de desporto infantil e ia a caminho de El Aiúne quando o fatal acidente se deu. Após a colisão, o camião cisterna terá explodido em chamas, consumindo violentamente ambos os veículos. O jornal Yabidali avança que o camião transportava material inflamável, o que originou o incêndio.

O relatório avança que o veículo transportava jovens atletas e funcionários do Ministério da Juventude e Desporto de Marrocos, envolvidos numa competição desportiva nacional. O jornal local Les Ecos informa que o grupo de jovens era das cidades de Bouznika e de El Aiúne, localidades mais a sul, na zona do deserto do Saara Ocidental.

Publicidade

A sinistralidade e os acidentes rodoviários têm vindo a aumentar em Marrocos. O crescimento desses valores são associados à maior propriedade de carros, que quase duplicou nos últimos 15 anos, segundo a agência de notícias Reuters. Dados das estatísticas oficiais avançam que morre, no trânsito marroquino, uma média de 10 pessoas diariamente.