A editora Le Seuil anunciou esta segunda-feira, 13 de abril, que o escritor, tradutor e editor francês François Maspero faleceu no sábado. Maspero contava já com 83 anos. Durante a sua vida foi jornalista e proprietário de uma livraria. Foi ainda fundador da editora Maspero, atual La Découverte, a qual se tornou conhecida pela publicação de obras controversas. A ministra da Cultura francesa, Fleur Pellerin, num comunicado que enviou à imprensa, lamenta a morte de "uma grande figura da #Literatura, um intelectual imenso". Salienta ainda que "com ele a edição de livros políticos perde um dos seus símbolos".

François Maspero nasceu a 19 de janeiro de 1932, em Paris.

Publicidade
Publicidade

É filho do sinólogo Henri Maspero e neto de Gaston Maspero, um egiptólogo conhecido. A Segunda Guerra Mundial trouxe grandes dissabores à sua vida, tendo perdido o pai num campo de concentração nazi e o irmão mais velho, que foi morto pelas tropas alemãs.

No famoso bairro Quartier Latin, em Paris, muito frequentado por intelectuais e artistas, Maspero, apesar de não possuir qualquer grau académico, abriu uma livraria em 1955. Quatro anos decorridos, criou a editora com o seu nome, Maspero, a qual publicou textos sobre a guerra da Argélia, outros de contestação ao regine soviético de Estaline e ainda textos com temas sobre o subdesenvolvimento e o neocolonialismo. Nomes como Louis Althusser, Jean-Pierre Vernant, Pierre Vidal-Naquet, Yves Lacoste, Yannis Ritsos, Tahar Ben Jelloun e Nazim Hikmet viram as suas obras publicadas pela Maspero.

Publicidade

Alguns dos títulos que publicou foram proibidos, fazendo com que este editor ganhasse reputação na vida intelectual de França.

Foi obrigado a vender a livraria em 1974, porém conseguiu manter a editora até 1982, ano em que teve o mesmo destino. Atualmente a editora chama-se La Découverte e pertence a François Gèze. Dois marcos na sua vida catapultaram a veia de escritor de Maspero: um acidente de mota e uma tentativa de suicídio. Depois disso publicou 15 títulos. Entre eles é possível encontrar alguns romances e outros, a maioria, são guias de viagens.

Títulos de sucesso e trabalhos desenvolvidos:

Entre os seus livros, destacam-se três pela sua popularidade:

  • Le Sourire du Chat,
  • Balkans-Transit
  • Un Voyage au Long Cours

Como jornalista fez reportagens para o jornal Le Monde e para a Radio France. Traduziu obras de grandes autores, entre eles John Reed, Francesco Biamonti, Alvaro Mutis, Arturo Pérez-Reverte, Carlos Ruiz Zafón e Joseph Conrad.

Hoje o mundo ficou mais pobre: dois grandes nomes ligados à literatura partiram: François Maspero e Günter Grass.