O escritor alemão Günter Grass faleceu nesta manhã de segunda-feira, 13 de abril, no hospital de Lübeck, onde estava hospitalizado. Contava já com 87 anos. Esta notícia foi avançada pela editora Steidl, porém, não especifica a causa da morte. Na imprensa alemã é possível encontrar referências a Günter Grass como o Nobel da #Literatura que arriscou a quebrar tabus e que viveu a sua vida com um "espírito rebelde".

Percurso de Günter Grass

Este famoso e laureado escritor nasceu a 16 de outubro de 1927 e estudou na cidade de Danzig. Quando tinha apenas 12 anos deu-se início à Segunda Guerra Mundial e, ao atingir os 16 anos de idade, Grass foi imediatamente recrutado pelo exército.

Publicidade
Publicidade

Em 1944 foi preso pelas tropas norte-americanas tendo sido levado para Marienbad, na Checoslováquia. Dois anos depois foi libertado e, para poder sobreviver, trabalhou como agricultor, numa mina de potassa e ainda como aprendiz de pedreiro. Foi este último trabalho que despertou em Grass a sua veia criativa, tendo sido admitido em 1948 no curso de Pintura e Escultura da Academia das Artes de Düsseldorf. Em 1953 passou para a Academia Estatal de Belas-Artes de Berlim Ocidental, tendo obtido o seu diploma em 1955. Depois de ter sido associado da tertúlia Gruppe 47, viajou por França, a Itália e a Espanha. Depois fixou-se em Paris, onde começou o seu trabalho como escultor profissional e como escritor, dedicando-se à escrita de peças de teatro, romances e versos. Algumas das suas obras passaram desapercebidas.

Publicidade

Die Vorzüge Der Windhühner (1956), Onkel, Onkel (1957) e 32 Zähne (1958) foram publicadas nesse período.

A sua internacionalização começou quando publicou o romance Die Blechtrommel, em 1959. Este fala sobre uma criança de Danzig que deixa de crescer apenas aos 3 anos. Esta obra foi adaptada ao cinema. Em 1960, já com a reputação de romancista, vai viver para Berlim e publica mais dois livros que, com o seu primeiro romance, ficam conhecidos como a "Trilogia de Danzig", lugar onde decorre a ação dos 3 volumes. A partir daí, Berlim passou a ser o palco dos sus romances. Na década 70 começa a ter como alvo de escrita temas como o pacifismo, o papel dos intelectuais na construção de um mundo melhor e o feminismo. Este interesse valeu-lhe a eleição de presidente da Academia das Artes de Berlim, em 1983.

Prémios e distinções

Ao nível de prémios e distinções, Günter Grass foi galardoado com o Prémio Internacional Mondello e com a Medalha Alexander-Majakovsky. Além disso, recebeu o Prémio Literário Príncipe das Astúrias. Ganhou também o Prémio Nobel da Literatura, atribuído em 1999.

Obras a destacar

  • Aus Dem TagebuchEiner Schneke (1972);
  • Der Butt (1977);
  • Die Rättin (1986);
  • Im Krebsgang (2002).