O ano de 2014 foi trágico para a aviação comercial, surgindo a Malaysia Airlines como protagonista de dois dos acidentes mais graves: a 8 de Março, desapareceu sem deixar rasto o Boeing 777, com 227 passageiros e 12 tripulantes, e, actualmente, ainda se procura saber o que aconteceu. A mesma companhia entrou, novamente, para a lista desse ano, a 17 de Julho, na sequência da queda no leste da Ucrânia, o que provocou a morte de 298 pessoas. Sem qualquer confirmação, surgiu como motivo do acidente o ataque feito por rebeles anti-Kiev, capital daquele país do leste europeu, marcado pelos recentes conflitos com a Rússia. 

Além da Malaysia Airlines e da já referida TransAsia, houve outras companhias de origem asiáticas envolvidas, como a Nepal Airlines, a Air Indonesia ou Sepahan Airlines e, no Brasil, viveram-se momentos de consternação com a morte de Eduardo Campos, candidato do Partido Socialista Brasileiro, às eleições presidenciais, em Terras de Vera Cruz, depois da queda do Cessna, em Santos.