O procurador Mehmet Selim Kiraz, que ontem esteve sequestrado durante várias horas no seu gabinete num tribunal de Istambul, não resistiu aos ferimentos e acabou por morrer. O magistrado ficou ferido após a entrada da polícia que ouviu tiros e acabou por entrar no local à força, pondo fim a seis horas de negociações com os dois sequestradores. Por volta das 19h, as autoridades turcas tomaram de assalto o gabinete de Selim Kiraz e os raptores acabaram abatidos.

Testemunhas relatam que viram dois homens de cabelo negro e fato a entrarem no gabinete do magistrado. Todo o complexo foi evacuado e as televisões foram aconselhadas a não transmitirem em direto imagens das movimentações da polícia que rodeava o local.

Publicidade
Publicidade

O sequestro foi gravado e apareceu num site próximo do grupo. A Frente Partidária de Libertação do Povo Revolucionário (DHKP/C, na sigla em turco) é considerado um grupo terrorista pela União Europeia e Estados Unidos. Este grupo é associados aos ataques suicidas.

O Twitter foi utilizado pela mesma organização para revindicar a autoria do ataque e publicar uma lista de exigências. Entre elas estava o pedido para que o polícia que atingiu um jovem durante os protestos antigovernamentais de 2013 confesse o seu crime; que o julgamento seja feito num tribunal popular e que os populares que se manifestaram durante o enterro do jovem não sejam acusados pelo governo. O grupo afirmava que executaria Kiraz caso as exigências não fossem atendidas até às 11h36 (hora de Portugal). As negociações decorreram até às 19 horas.

Publicidade

O procurador acabou por ser baleado com dois tiros na cabeça e outros dois no corpo. Este conduzia a investigação da morte de um adolescente, Berkin Elvan, durante um protesto em 2013, ano que ficou marcado pelos intensos protestos contra o líder da Turquia. A morte deste jovem ficou como um símbolo de resistência contra Erdogan. Berkin Elvan passou nove meses em coma após ter sido atingido na cabeça por uma granada de gás lacrimogéneo lançada pela polícia. O jovem saíra de casa para ir comprar pão quando foi atingido. #Política Internacional