A segunda caixa negra do AirBus A-320 da Germanwings foi encontrada esta quinta-feira e, ao que tudo indica, o copiloto procedeu várias vezes à aceleração da aeronave em direção aos Alpes. As autoridades francesas, que estão a investigar o caso, confirmam que Lubitz despenhou o avião de forma deliberada. Recorde-se que a bordo do mesmo iam 150 pessoas e nenhuma sobreviveu.

A primeira caixa negra veio revelar que o piloto Patrick Sondenheimer ficou trancado fora do cockpit antes do acidente. O capitão do voo foi à casa de banho e, quando voltou, já não conseguiu entrar no cockpit, revelaram as primeiras investigações em torno da tragédia.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, esta quinta-feira, foi encontrada e analisada a segunda caixa negra (o Flight Data Recorder) que, segundo informou o jornal El País, regista todas as informações acerca do voo, tais como a velocidade, a altitude e se o piloto automático se encontrava ligado ou desligado.

O avião despenhou-se contra os Alpes Franceses no passado dia 24 de março, mas as investigações continuam a decorrer. Nos últimos dias tem-se vindo a confirmar, mais uma vez, o teor suicida da tragédia. Nos primeiros dias após o acontecimento, surgiram desde logo informações de que o copiloto havia trancado o piloto fora do cockpit e provocado o acidente de livre vontade. Recentemente, foi noticiado que Lubitz pesquisou online sobre suicídio e portas do cockpit, informação que vai ao encontro daquilo que foi revelado pela segunda caixa negra encontrada no AirBus A-320.

Publicidade

Andreas Lubitz recorreu ao piloto automático para encaminhar a aeronave para as montanhas, num acidente que provocou 150 mortes. A agência civil francesa (BEA) encarregada de investigar o caso, ao analisar a segunda caixa negra, verificou que o copiloto configurou o piloto automático para fazer descer o avião até 30 metros de altitude e, em seguida, alterou várias vezes a configuração do mesmo de modo a "aumentar a velocidade de descida". A investigação francesa acrescenta ainda que "os trabalhos continuam para estabelecer o desenrolar factual preciso do voo".