Uma educadora foi condenada a quatro anos de prisão por maus tratos a crianças, numa creche na Catalunha, em Espanha. O caso começou a ser julgado em março deste ano, mas só agora em maio foi conhecida a sentença, assim como o vídeo tornado público depois do julgamento.

Esther, nome conhecido da auxiliar, foi ainda condenada a pagar 90 mil euros em indemnizações às famílias das vítimas. Esta funcionária da creche em Gironella tapava o nariz das crianças para as obrigar a abrir a boca e enfiar comida, Também colocava as crianças a dormir com a cabeça virada para o fundo dos sacos-cama. Esta última situação foi também provada pelos juízes do Tribunal Penal de Manresa, na região Barcelona. Segundo as declarações agora divulgadas: "Chegava mesmo a tapar a outra ponta, sentando-se sobre abertura do saco cama", referiram os juízes do tribunal, suportando-se no registo video feito às escondidas da auxiliar.

Esta acabaria por ser despedida e condenada à desqualificação profissional de "técnica para a educação na primeira infância". #Crime

No vídeo é possível ver o "método" de Esther, assim como outra trabalhadora da creche de Gironella que assiste à situação sem se manifestar. Montserrat, assim se chama a outra funcionária, que acabou condenada a 11 meses de prisão como cúmplice de dois crimes contra a integridade física das crianças.


Esther era assistente da creche e tinha a seu cargo um grupo de alunos com um ano de idade. Os crimes remontam a novembro de 2011, tendo o seu advogado de defesa chegado a pedir a absolvição de Esther pelo facto do caso, que apesar de considerar inadequado, "não constituir um delito". Os juízes não tiveram o mesmo entendimento.


A auxiliar foi funcionária da instituição durante 18 anos e os advogados de acusação dos pais das crianças admitem agora que vão processar o estabelecimento de ensino. "Temos que perceber que danos psicológicos ficaram nas crianças", dizem os advogados. O caso chocou a vizinha Espanha, em especial a região da Catalunha onde tudo se passou.