Segundo previsões do comando norte-americano de Defesa Aeroespacial, a nave espacial não-tripulada russa Progress M-27, que tinha como destino a Estação Espacial Internacional, e que se desviou da sua órbita na semana passada, deve cair na Terra esta sexta-feira, sem qualquer ameaça. O local estimado para a queda situa-se nas águas do oceano Pacífico, perto da costa norte-americana, pelas 13h30. Contudo, fontes garantem que os cálculos de previsão do comando norte-americano de Defesa Aeroespacial podem estar errados.

Uma fonte do setor aeroespacial acredita que os cálculos exatos só poderão ser determinados com uma grande margem de erro até 24 horas antes do embate na Terra.

Publicidade
Publicidade

De qualquer forma, os fragmentos que poderiam representar maior ameaça à segurança da população também não chegarão à Terra, já que se prevê que se desintegrem nas densas camadas da atmosfera.

De facto, o Progress não foi concebido para poder voltar à Terra, pelo que a mesma fonte afirma que, o mais provável, é que se incendeie ao reentrar na atmosfera, causando assim pequenos ou nenhuns danos.

O foguetão Soyuz, que levava a nave Progress M-27M para a Estação Espacial Internacional foi lançado na passada terça-feira, da base de Baikonur, no Cazaquistão, sendo que as comunicações foram perdidas pouco tempo depois devido a uma falha nas antenas. A nave, com sete metros de comprimento e 2,5 toneladas de alimentos, água, combustível e outros suplementos, começou então a cair em direção à Terra, a mais de 25 mil quilómetros por hora.

Publicidade

A Progress tinha 35 anos de utilização, com um historial praticamente imaculado, registando-se apenas um acidente, em 2011, devido a uma avaria do foguete portador. A sua queda estava, desde início, agendada entre os dias 7 e 11 de maio, sendo agora, quase certo, que cairá dia 8.

Os seis astronautas que se encontram na estação internacional não correm perigo e têm mantimentos e combustível para mais quatro meses, pelo que a próxima nave com destino à Estação Espacial Internacional deve partir em agosto deste ano. Por ano, são feitos cerca de quatro lançamentos de naves com a função de abastecer a estação espacial. #Espaço