Um caso terrível está a abalar a comunidade de Fraser Valley, no Canadá. Um homem escreveu um post na sua página pessoal do Facebook em que confessa ter assinado a própria filha, a mulher e a irmã. Randy Janzen explica que a sua motivação para cometer os crimes foi o facto de a filha sofrer de depressão e enxaquecas. As autoridades acreditam que o homem se terá suicidado.

"Peguei numa arma e atirei à cabeça. Agora ela está livre das enxaquecas e pode voar nas nuvens", começa por escrever o homem, explicando que Emily, que tinha atualmente 19 anos, sofria de depressão e enxaquecas desde que era criança. Segundo ele, a jovem teria abandonado a universidade devido às dores intensas que sofria.

Publicidade
Publicidade

"Eu não podia ver a minha menina sofrer nem mais um segundo", justificou-se no mesmo testemunho.

Depois de matar a filha, Randy Jansen decidiu que deveria terminar também com a vida da mulher, Laurel, "porque nenhuma mãe deve ouvir as notícias de que o seu filho morreu". Mas o canadiano ainda não tinha terminado. Depois, decidiu que deveria também pôr termo à vida da irmã, Shelly, porque "ela não deveria viver com vergonha de atos que ele tinha cometido". Todos os crimes foram cometidos na passada quinta-feira com recurso a arma de fogo.

"Agora a minha #Família está livre e no céu. Sinto remorsos pelos meus atos e sinto-me um homem mau. Aceito toda a responsabilidade pelos atos que cometi e por estes homicídios. Peço desculpa a quem magoei. Descanse em paz a minha pequena família", concluiu Randy Jansen.

Publicidade

Depois de escrever a alegada confissão do Facebook, o homem pegou fogo à casa de família. Os vizinhos confessam que ouviram tiros e depois um grande estrondo. Enquanto a polícia não chegou ao local, a casa ardeu por completo. Foi aí que as autoridades encontraram os corpos carbonizados das três mulheres. Apesar da confissão tornada pública, as autoridades continuam a investigar, até porque Randy Jansen foi encontrado noutra casa.

Entretanto, a escola que Emily frequentou já prestou uma homenagem. Colegas e professores recordam o sorriso, a voz bonita e o espírito fantástico da jovem. #Crime