As negociações entre a Grécia e os parceiros europeus irão conhecer uma nova etapa na próxima reunião do Eurogrupo, que se realiza no dia 11 de Maio em Bruxelas. Quem não está confiante num acordo entre Atenas e os credores internacionais é o ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, que viu recentemente a sua posição enfraquecida no seio do governo do Syriza, ao ser afastado do centro das negociações. Do lado da União Europeia parece também não haver grande confiança em que um acordo possa ser celebrado já na próxima reunião dos ministros das Finanças da Zona #Euro. O comissário dos Assuntos Económicos e Financeiros, Pierre Moscovici, fala da reunião como mais um passo para um futuro entendimento.

Publicidade
Publicidade

Do lado de Atenas há uma posição clara de que as actuais exigências da Comissão e do Fundo Monetário Internacional são demasiado pesadas para a Grécia e para a sua economia para que seja possível chegar-se a um consenso. Uma fonte do governo acusa mesmo as duas instituições de falta de coordenação.

Além de Varoufakis, o pessimismo é compartilhado pelo ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, que revela algum cepticismo quanto à possibilidade de se chegar a algum tipo de acordo antes da reunião em Bruxelas. No entanto, é o primeiro a admitir que este novo "forcing" de negociações está a ser mais construtivo.

Incumprimento iminente

Em cima da mesa está a possibilidade da Grécia entrar em incumprimento, o chamado "default" por falta de verbas para pagar aos seus credores.

Publicidade

Desde Fevereiro que as negociações se têm arrastado com acusações de ambos os lados de total intransigência. Em causa está uma tranche de 7,2 mil milhões de euros, que só será libertada quando a Grécia apresentar um plano convincente de reformas ao nível estrutural e de consolidação orçamental.

As negociações envolvem a Grécia, a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu, o Fundo Monetário Internacional e ainda o Mecanismo Europeu de Estabilidade.

Já se viveram momentos de grande tensão, especialmente na última reunião em Riga, no passado dia 24 de Abril. Nessa altura os parceiros internacionais mostraram-se deveras saturados com a atitude intransigente de Yanis Varoufakis nas negociações. Esta posição acabou mesmo por ditar uma remodelação da equipa grega de negociação, que passou a ser liderada por Euclides Tsakaloto. #Política Internacional