Com a votação e aprovação em referendo do casamento homossexual, a Irlanda entrou para a história. Apesar de existirem atualmente 17 países, incluindo Portugal, Espanha e vários estados norte-americanos, onde pessoas do mesmo sexo se podem casar, tendo os mesmos direitos que os heterossexuais, a Irlanda tornou-se o primeiro país onde os homossexuais podem contrair matrimónio por vontade e decisão expressa do eleitorado.

As sondagens prévias à votação apontavam para a maioria do "sim", no entanto, este país, com uma grande tradição católica, tinha também um grande movimento anti-casamento gay. David Quinn, líder deste movimento pelo "não" (que obteve apenas 38% dos votos), admite que "foi uma impressionante vitória do 'sim'".

Publicidade
Publicidade

Após a votação, o arcebispo católico de Dublin, Diarmuid Martin, afirmou que a "igreja católica tem uma grande missão pela frente" estando nas suas mãos "fazer uma revisão da realidade". Apesar da grande defesa da igreja pelo voto "não", o "sim" foi sempre apoiado por políticos e celebridades, como Bono, dos U2, e o ator Colin Farrell, ambos irlandeses.

Mais de 3,2 milhões de pessoas dirigiram-se às urnas na passada sexta-feira, sendo que muitos irlandeses que já não habitavam no país voltaram apenas para poderem participar nesta votação histórica. Na contagem final dos votos, mais de 62% da população votou "sim", e a Irlanda tornou-se no 19º país a legalizar o casamento homossexual. É necessário notar que a decisão foi feita através de um referendo, onde não é normal haver uma grande adesão à votação, tornando-se ainda mais um acontecimento histórico na história da Irlanda.

Publicidade

A Irlanda é considerada um país conservador, com apenas 4,6 milhões de habitantes, onde 86,4% da população se considera católica. Além disso, a igreja católica tem 90% das escolas do ensino básico sob sua tutela. Apenas em 1995 foi legalizado o divórcio e o aborto continua a ser ilegal, sendo apenas praticado caso a vida da mãe esteja em perigo. Tendo em conta que a homossexualidade era considerada um crime, punível por lei, até 1993, este foi um grande passo para a Irlanda e para o mundo. #Política Internacional #LGBT