Na passada sexta-feira, dia 26, o hotel de cinco estrelas Imperial Marhaba, situado em Sousse (Tunísia) foi alvo de um ataque terrorista. Segundo o Ministério da Saúde da Tunísia, ocorreram pelo menos 39 mortes e registaram-se vários feridos. Mathew James sobreviveu depois de usar o seu corpo como escudo para proteger Saera, sua namorada, de ser baleada. James foi baleado três vezes e encontra-se em estado "estável". O homem já está no País de Gales e encontra-se em recuperação num hospital de Cardiff.

Um homem vestido à turista entrou armado no hotel e começou a disparar em todas as direcções fazendo várias vítimas mortais. Mathew James, de 30 anos, ficou conhecido depois de ter sido baleado três vezes para proteger a sua namorada Saera, de 26 anos, no atentado. O homem publicou nas redes sociais uma fotografia na cama do hospital, ao lado da namorada, ambos com os polegares para cima, dando a entender que está tudo bem com ele.

Aquando deste incidente, alguns engenheiros da área do gás, que não conhecem pessoalmente Mathew e a família, decidiram criar uma página na rede social Facebook para angariarem algum dinheiro para o casal e os seus dois filhos. Mathew agradeceu, num comentário nessa mesma página, a todos o apoio e os donativos que fizeram: "Só para vos deixar um enorme obrigado pelo apoio de todos e pelos donativos que fizeram".

Saera disse à BBC que é ela quem anda a ler as mensagens e que "Mathew está extasiado de alegria". Neste momento o homem não se encontra em condições de responder às mensagens de apoio, mas a namorada garante que "assim que ele puder vai responder a todos".

Quando começou o tiroteio, Mathew utilizou o seu corpo como escudo, acabando por ser atingido no ombro, no peito e nas ancas. Ao mesmo tempo que era baleado, o homem aconselhou a namorada a fugir dali e a proteger os seus dois filhos. Na altura do atentado não tinham sido identificadas vítimas portuguesas, mas já foi confirmado que uma professora reformada da Invicta morreu foi uma das vítimas do atirador. #Terrorismo