A saída da Grécia do Euro continua a ser uma forte possibilidade. Ontem, a reunião do Eurogrupo não resultou em qualquer decisão sobre a situação grega, e o prazo para o pagamento está a escassear. Ainda assim, o ministro das Finanças Yanis Varoufakis considera que os ministros da zona Euro parecem estar a ver o "Grexit" (saída da Grécia do Euro) como um cenário aceitável. Recorde-se que os helénicos têm até ao final do mês para regularizar o pagamento de 1,6 mil milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

Consequências do incumprimento

Se a Grécia entrar em incumprimento, as consequências para o país passarão possivelmente pela saída do Euro e pela bancarrota. Isto porque caso falhe o acordo, a Grécia só muito dificilmente terá acesso à nova tranche de empréstimo, no valor de 7,2 mil milhões de euros. Mas Alexis Tsipras, primeiro-ministro grego, deixa o alerta: a saída do país da Moeda Única vai ser "o princípio do fim da zona Euro". Enquanto isso, Varoufakis pede transparência, sublinhando a recusa helénica em proceder mais cortes, embora reconheça a urgência de efectuar reformas.

Em Portugal, saída da Grécia do Euro é vista com maus olhos

Numa sondagem do Cesop, verificou-se que os portugueses não veem com bons olhos a saída da Grécia da zona Euro. De acordo com o estudo efectuado este mês, em Portugal há a opinião de que a saída do país grego da Moeda Única vai ter más consequências em "terras lusitanas" (49 por cento) e na União Europeia (52 por cento), pelo que a grande maioria dos inquiridos considera como melhor solução a continuidade da Grécia no Euro.

#Política Internacional

Influência em Portugal

Com o cenário da saída helénica da zona Euro a ser uma possibilidade forte neste momento, há países que trabalham no sentido de preparar esse cenário. Portugal integra o grupo de países que está a estudar a possibilidade de se dar o "Grexit", tal como Alemanha, Reino Unido, Holanda e Irlanda. As opiniões sobre as consequências para Portugal dividem-se, havendo peritos que consideram que a influência será escassa ou nula. Outros que acreditam que os portugueses podem ser dos que mais sofrerão com a saída da Grécia do Euro.