É já no próximo dia 24 deste mês que Lady Gaga e Tony Bennett vão actuar na angariação de fundos para a campanha presidencial de Hillary Clinton, em Manhattan, Nova Iorque (EUA). A candidata democrata está na corrida presidencial de 2016 e começou a sua campanha muito antes dos seus adversários. Ela é a primeira e única primeira-dama a fazer parte do Senado dos Estados Unidos, para além de ser actualmente candidata às presidenciais.

O evento irá decorrer no Plaza Hotel e, de acordo com a divulgação oficial, promete uma noite memorável com uma "performance intimista de apoio a Hillary para a América". A ex-primeira-dama vai falar no evento, fazendo algumas observações sobre a campanha eleitoral, que visa impulsionar a angariação de fundos antes do dia 30 de junho. Este prazo foi estipulado pela Comissão Eleitoral Federal. De acordo com o convite, existe um número limitado de bilhetes que custam mil dólares por pessoa, estando também disponíveis os bilhetes "premium" que rondam os 2700 dólares.

Aqueles que doarem pelo menos 27 mil dólares serão considerados como co-anfitriões do evento; se investirem 50 mil dólares ou mais na campanha de Hillary Clinton, serão mesmo considerados anfitriões. Como tal, serão recebidos pela democrata em particular e receberão bilhetes "premium". Para além destes benefícios, a troco de uma quantia tão avultada como 50 mil dólares, Clinton permite ainda o acesso a esses "investidores" à after-party com Bennett e Lady Gaga, podendo também tirar uma foto com a candidata e quiçá com os artistas.

A cantora Lady Gaga sempre apoiou Hillary Clinton, dizendo-lhe para concorrer à presidência e "ralhar" com Tim Gunn por criticar as suas roupas. Em 2001, Gaga disse: "Eu acho que Hillary Clinton tem coisas mais importantes com que se preocupar do que com a sua hesitação". A 58ª eleição presidencial, que elegerá o presidente e vice-presidente dos EUA, ocorrerá no dia 8 de novembro de 2016. Barack Obama, o actual presidente, é inelegível para um terceiro mandato, segundo o disposto na 22ª Emenda da Constituição dos Estados Unidos. #Política Internacional