A Grécia já apresentou mais uma proposta aos credores. Desta vez, Alexis Tsipras sugere um terceiro resgate, gerido no âmbito do Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira, e sem envolver o Fundo Monetário Internacional (FMI). O primeiro-ministro helénico quer também a reestruturação da dívida do país. O acordo seria para dois anos, surgindo no dia em que finda o prazo para a Grécia pagar ao FMI, o que de resto já anunciou que não faria.

A nova proposta grega contempla um acordo de dois anos com o Mecanismo Europeu, e que cubra na totalidade "as suas necessidades financeiras". De acordo com o Diário de Notícias, o governo quer também a reestruturação da dívida, frisando que o anunciado referendo não representa o final do processo negocial com os parceiros europeus.

Publicidade
Publicidade

O acto de consulta popular está marcado para o próximo domingo.

Comissão Europeia também apresentou proposta

Nas últimas horas, a Comissão Europeia também apresentou uma proposta à Grécia, através do seu presidente Jean-Claude Juncker. Os credores comprometer-se-iam a "fechar" caso o Executivo helénico se comprometesse a aceitar a proposta hoje e a fazer campanha pelo "sim" no referendo deste domingo.

O documento inclui subidas no IVA para diversos produtos e serviços, reduções nas pensões e cessar de forma gradual as reformas antecipadas. As instituições europeias querem ainda que Atenas aumente a idade da aposentação. De fora fica a reestruturação da dívida pretendida pelo Governo grego.

Ou "não", ou demissão; permanência do Euro em risco

Em entrevista a uma televisão grega, Alexis Tsipras prometeu respeitar e implementar a decisão dos cidadãos, mas irá demitir-se caso optem pelo "sim" à proposta europeia, que previa o aumento da austeridade.

Publicidade

O governante e Varoufakis rejeitaram também a possibilidade de pagar até ao prazo limite a dívida de 1,6 mil milhões de euros ao FMI.

Com os bancos gregos encerrados até 6 de Julho e um limite para levantamento nos multibancos (60 euros por cartão), o cenário de "Grexit" - saída da Grécia do Euro - não está afastado. Benoît Coueuré, membro do conselho do Banco Central Europeu, admitiu ao jornal Le Echos que a saída da Grécia da zona Euro já é uma hipótese bem real. O responsável está, contudo, optimista num programa de ajuda ao país caso os cidadãos gregos votem pelo "sim" no referendo. #Política Internacional